Agricultores familiares aplicam mais de R$ 16 bilhões em crédito na safra 2013/2014

Foto: Ascom MDA

Com mais de 1,5 milhão de contratos firmados e R$ 16,6 bilhões emprestados para agricultores familiares, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) bateu recorde, nos nove meses do ano agrícola 2013/2014. O valor aplicado de julho de 2013 a março de 2014 representa cerca de 80% do esperado para toda a safra e já ultrapassou, por exemplo, o total da safra 2011/2012 (R$ 15,2 bi).
“Temos um novo recorde e a tendência para o último trimestre é que se aproxime dos R$ 21 bilhões disponibilizados. Os dados demonstram aquecimento dos investimentos na agricultura familiar”, avalia o secretário da Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA), Valter Bianchini.
Dos R$ 16,6 bilhões, R$ 2,5 bilhões foram financiados por mulheres, ou seja, 16% do total. Nesses nove meses, as agricultoras fizeram aproximadamente 408 mil contratos, o que equivale a 27% das operações financiadas. O avanço das mulheres agricultoras atinge porcentagem recorde em comparação aos anos anteriores, segundo Bianchini.
Francisca Alessandra Araújo, 33 anos, do município de Milha, no Ceará, está entre essas agricultoras. Francisca fez contratos de custeio e de investimento para a produção de leite. A agricultora tomou R$ 94 mil pelo Pronaf, para a compra de 20 matrizes (vacas), de cerca e para melhoramentos na propriedade. “Vou começar a pagar em 2016 e vamos fazer o pagamento em 12 anos. Agora vamos aumentar nossa produção de leite e de queijo”, diz a agricultora que vive com o marido, Marco, 36 anos, e seus três filhos – de 12, oito e dois anos.
Investimento e custeio
Cerca de R$ 9 bilhões são para investimentos na produção, enquanto R$ 7,7 bilhões são para custeio. Do total de contratos, 979 mil foram de investimento e 535 mil foram para operações de custeio.
O Governo Federal aprovou um amplo processo de renegociação de dívidas do Pronaf, no valor de até R$ 10 mil. Bianchini acrescenta que, com isso, milhares de agricultores entrarão em situação de adimplência, o que tornará apto ao crédito um conjunto grande de agricultores.
Os valores contratados foram fornecidos pela Diretoria de Organização do Sistema Financeiro e Controle de Operações do Crédito Rural (Diorf), do Departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações do Crédito Rural e do Proagro (Derop), do Banco Central, que gerencia o Sistema de Operações do Crédito Rural e do Proagro (Sicor).
Fonte: MDA

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM