Algodão ecológico vira alternativa de renda para três mil famílias

Cerca de 3 mil famílias do assento Itamarati são beneficiadas com o plantio do algodão

Cerca de 3 mil famílias do assento Itamarati são beneficiadas com o plantio do algodão


Apesar de mais trabalhoso, pois requer o cultivo sem o uso de herbicidas, o plantio do algodão ecológico tem colaborado para melhorar as condições de vida das cerca de três mil famílias que vivem no assentamento Itamarati, em Ponta Porã (MS). Considerado o maior do País, este foi formado há 11 anos, nas terras de uma antiga fazenda produtora de soja.
Segundo Vitor Neves, coordenador do Setorial de Agricultura Familiar da Unisol Brasil, até o final do ano a área de cultivo do algodão ecológico deverá se estender por um espaço de dez hectares do assentamento, o que representa uma produção de 100 mil quilos de algodão em rama. A estimativa é de um ganho de até R$ 3 mil por hectare para os produtores.
Em junho, a Associação da Escola Família Agrícola da Fronteira, uma das entidades que reúnem os trabalhadores do Itamarati, recebeu como doação da Cooperativa Central Justa Trama uma descaroçadeira de algodão. Com o equipamento foi possível processar a produção do ano de 2011, que estava estocada pela falta do equipamento.
Confira no link a seguir a reportagem produzida pela RIT TV com os agricultores do assentamento Itamarati.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM