Amazonas tem fortes lideranças da Economia Solidária

REDE TARUMA ARTESANATO ESTATUA

A Região Norte do Brasil conta com algumas lideranças importantes da Economia Solidária. José de Farias, conhecido no meio político como Zeca do PT, é uma delas, e vem desenvolvendo um importante trabalho junto ao governo do Amazonas. Secretário de Articulação de Políticas Públicas aos Movimentos Sociais e Populares (Searp), desde o início, tem por objetivo dar continuidade à aproximação e diálogo do Governo com os Movimentos Sociais, iniciados pelo ex-secretário da pasta, Joaquim Frazão.

Na Revista Unisol Brasil que circula em maio tem uma chamada para este texto. Aqui, Zeca destaca alguns dos principais pontos da sua pasta:

Zeca do PT – Vem havendo o estreitamento das relações com os demais órgãos do Governo e sociedade civil organizada com intuito de manter e firmar parcerias. Cada vez mais queremos vincular os movimentos sociais às políticas públicas disponíveis. Além de por em prática vários projetos da Searp. Já participamos de importantes eventos de interlocução com as demais esferas da ES nacional, como a 4ª Conferência Nacional das Cidades ocorrida no mês de junho de 2014, em Brasília.

Zeca do PT – Projetos – Temos tocado vários, como o da implantação do Conselho Estadual das Cidades, com o apoio do Governador; da ativação dos Conselhos Interativos de Segurança Pública Comunitários, em todo o Estado; a adesão aos convênios com o Governo Federal, principalmente com o Ministérios do Desenvolvimento Agrário (MDA) e Meio Ambiente (MMA), com intuito de desenvolver, em vários municípios, capacitações na área de produção e gestão de negócios sustentáveis e apoiar à produção quanto ao escoamento e comercialização.

Zeca do PT – Compromisso – “O nosso papel junto aos movimentos sociais é de ser um permanente mecanismo de diálogo e de acesso às políticas públicas, em qualquer esfera que esteja presente: municipal, estadual ou federal”, ressalta.

Zeca do PT – Demais ações – Temos oficinas, cursos, palestras e seminários voltados à qualificação de mão-de-obra, gerenciamento e criação de entidades organizadas, criação e prática de projetos que gerem emprego e renda às comunidades do interior do Estado vão continuar. “Vamos potencializar essas ações de levar conhecimento às comunidades e de levantar alternativas para as famílias poderem manter financeiramente seus entes sem precisar migrar para a capital”, afirma.

REDE TARUMA NA REVISTA DA SEMTRAD

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM