Artesanato transforma a vida de pescadoras no Rio Grande do Sul

Por Dalva de Oliveira
Resgatar a cultura dos Açores e incentivar o turismo é o que o grupo de mulheres pescadoras da Ilha da Pintada, em Porto Alegre/RS, vem fazendo nos últimos catorze anos. A Ilha é composta por descendentes de imigrantes do arquipélago português e de antigos escravos africanos, que trouxeram suas referências culturais.
As vinte e duas mulheres que fazem parte do projeto Art’escama buscam fazer renascer a cultura que estava desaparecida por meio do trabalho artesanal, principalmente com a  escama de peixe. Com a matéria prima, elas desenvolvem um artesanato variado que vai desde a fabricação de biojóias como pulseiras, colares, brincos e flores, passando por itens de vestuário como echarpes, bolsas e vestidos bordados, e até produtos utilitários como bandejas, luminárias e porta guardanapos, que surpreendem pela beleza e suavidade. O artesanato já foi exposto e comercializado em feiras e exposições de alguns estados do país – Distrito Federal, São Paulo, Santa Catarina -, e também no exterior.
O projeto “O artesanato na Rota do Turismo” recebeu investimento social de mais de R$ 170 mil, o que possibilitou a reforma do Centro de Tradições Gaúchas, aquisição de equipamentos, qualificação profissional dos associados e formalização da entidade. O Art’ escama tem como principal objetivo melhorar a qualidade de vida do grupo  de  moradores da ilha, ampliando as possibilidades de trabalho e renda,  com capacitação e organização para que seja autossustentável, com foco no turismo e na proteção ambiental.
De acordo com consultora e agente de desenvolvimento sustentável do projeto, Teresinha Carvalho da Silva, o recurso que recebeu da Fundação BB contribui para realizar o grande sonho de todas: ter um espaço para trabalhar e comercializar. “Ficamos muito tempo trabalhando em um local cedido pela Colônia de Pescadores Z5, porém, devido ao horário comercial era difícil para receber os visitantes. Hoje temos o nosso lugar. Muitas mulheres que tinham desistido, voltaram a trabalhar conosco”, disse.
A responsável traça planos para o futuro e não quer deixar passar a oportunidade de apresentar o trabalho e a cultura do grupo na Copa do Mundo de 2014. “Porto Alegre será um das cidades sede da Copa de 2014. Queremos contar a história da Ilha da Pintada por meio do nosso artesanato e fazer parte do evento”, conclui. Teresinha conta ainda que, neste início de ano, elas estão comemorando as boas vendas que fizeram em dezembro de 2012 e a abertura de um ponto de comercialização de produtos derivados da economia solidária na cidade gaúcha de Montenegro.
O empreendimento Art’escama é filiado da UNISOL Brasil desde 2009.
Com informações: Fundação Banco do Brasil

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM