Artesanato

O Setorial de Artesanato tem como desafio a viabilidade econômica dessa atividade, através do resgate da cultura regional, da valorização humana, da melhoria da qualidade de vida, da prática do manejo sustentável e da introdução do design nas peças artesanais.
A articulação em rede dos empreendimentos visa buscar alternativas conjuntas de comercialização em feiras e pontos de vendas, de aquisição de matéria-prima e equipamentos, além de qualificação através do intercâmbio de experiências, troca de informações e consultorias que agreguem valor aos produtos e os tornem atraentes aos consumidores, ao mesmo tempo em que valorize os saberes e características regionais de cada grupo.
COOPERAFIS
A COOPERAFIS – Cooperativa Regional de Artesãs Fibras do Sertão – atua na região sisaleira da Bahia, nos municípios de Valente, Araci e São Domingos, distantes, em média, 250 quilômetros da capital.
É uma região marcada pela seca, onde jovens e mulheres são os que mais sofrem com o desemprego.
A criação da COOPERAFIS foi uma alternativa de geração de emprego e renda.
O trabalho compartilhado vai desde a retirada das fibras de sisal e caroá, da caatinga, até o desfibramento e coloração feitos manualmente, utilizando pigmentos naturais extraídos na região.
A autogestão e a produção diferenciada e qualificada são pontos fortes desse empreendimento de elevado cunho social, capaz de fortalecer as relações de parceria entre as 122 artesãs que fazem parte da cooperativa.
Integrante do Programa de Inclusão e Organização Produtiva dos Empreendedores Cooperados, a COOPERAFIS recebeu assessoria da parceria UNISOL Brasil/Sebrae no acompanhamento da gestão, o que incluiu a elaboração de projetos, e na participação em feiras e eventos.
O aumento do capital de giro, a ampliação das parcerias e a garantia de renda fixa para cada um de suas empreendedoras, são algumas de suas metas futuras.
COOPVIDA
A elaboração de um projeto que desse apoio a portadores do vírus HIV surgiu da Associação Voluntários do Hospital São José. A iniciativa deu origem à COOPVIDA – Cooperativa Social de Artesãos Soropositivos em HIV/AIDS, localizada na cidade de Fortaleza, no Ceará.
Na sua maioria composta por homens, o grupo sofre preconceito. Por isso, a COOPVIDA trabalha tanto na ajuda terapêutica quanto no treinamento, através de oficinas, para capacitar os cooperados a exercer atividades, como artesanato e reciclagem, que lhes proporcionem renda e inserção no mercado de trabalho.
Presta assessoria, consultoria e negocia as peças de artesanato produzidas com material reciclado.
A COOPVIDA convive, diariamente, com a progressão de uma doença que, se num primeiro momento debilita, em seguida, provoca perdas humanas.
Com todos esses desafios, trabalha para a melhoria da qualidade de vida de seus cooperados, preferencialmente soropositivos do estado do Ceará.
Visando ampliar suas ações, a COOPVIDA foi buscar o apoio da Incubadora Cooperativas Populares de Autogestão/UFC, a fim de capacitar o grupo a formar uma Cooperativa Social caracterizada como especial, ou seja, organizada por menores de idade, portadores de necessidades especiais, indígenas e todos os demais que necessitem de tutela.
CABRITAS
Cooperativa Artesanal as Cabritas de Boa Vista
O município de Boa Vista localiza-se na região do Cariri paraibano, distante cerca de 50 quilômetros de Campina Grande e 170 quilômetros de João Pessoa, capital do estado.
Nessa cidade, em 04 de fevereiro de 2005, foi criada a Cooperativa Artesanal As Cabritas. O objetivo, como em toda iniciativa cooperativista, é gerar emprego e renda para as mulheres boavistenses, através da produção artesanal.
Com 24 cooperados, As Cabritas confecciona bolsas, sandálias, almofadas, roupas, toalhas de mesa e banho, adereços e outros objetos, feitos em crochê, macramé, fuxico, ponto de cruz, bordado ponto cheio, matiz e rechelieu.
As Cabritas tem conseguido colocar seus produtos não só em seu estado, mas em diversas regiões do país como São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Distrito Federal, e até nos Estados Unidos, o que comprova seu sucesso.
Além de fonte de renda, o trabalho cooperado tem ajudado a elevar a auto-estima das mulheres do município.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM