Articulação da Rede Agrovida coloca novas perspectivas para os cooperados da região do Alto Solimões

elis 9003

Reunião para a formação da rede Agrovida


Dando continuidade às visitas na região norte para a formação de redes, relatadas na matéria anterior ‘Região Norte recebe nova visita da Unisol Brasil que impulsiona as redes de Empreendimentos Solidários’, a equipe de projetos da entidade viajou até a cidade de Amaturá, município de 11 mil habitantes localizado na Região do Alto Solimões, na parte oeste do estado do Amazonas. A viagem para chegar na cidade, realizada de lancha, leva em média 30 horas (o retorno é um pouco mais rápido devido à correnteza do Rio Solimões, durando em média 24 horas).
Em Amaturá existe uma associação beneficiadora de castanha do brasil (conhecida ainda por castanha do pará ou castanha da amazônia), a APROCAM, que possui capacidade instalada para beneficiar 300 toneladas por ano. Fazem parte da APROCAM 190 associados, porém, mesmo assim, há capacidade ociosa em relação à estrutura de máquinas e trabalhadores disponíveis. Outros municípios vizinhos fornecem a castanha para a associação beneficiar, porém essas operações ainda não estão organizadas em torno de outras associações ou cooperativas.
A criação da Rede Agrovida busca aproximar as associações de agricultores familiares, que possuem castanheiras em seus terrenos, com a APROCAM, para que seja consolidada uma cadeia produtiva na região e desta forma, os produtores possam vender sua produção com um valor agregado mais justo do que praticam hoje, por não terem acesso direto aos beneficiadores. Por outro lado, a relação direta, sem mediadores comerciais, entre os produtores de cidades vizinhas garante para a APROCAM maior regularidade de produção e menor ociosidade, ao invés da relação atual, que se caracteriza por uma prestação de serviços, e esta gera ganhos menores para os associados.
Dessa maneira, durante a visita da Unisol, foi apresentado o projeto da Rede aos representantes de quatro dos empreendimentos que compõem o grupo, que abrange os municípios de Santo Antonio do Içá, Amaturá e Tonantins. A partir da reunião, ficou claro para a Unisol que os objetivos da Rede e do escopo do Projeto caminham juntos. Por meio de consultorias específicas será possível auxiliá-los na formatação desta cadeia produtiva da castanha-do-brasil, de maneira planejada e visando obter rendimentos maiores para os cooperados. Além da castanha, os agricultores familiares também produzem frutas, hortaliças e legumes e possuem interesse de fornecer para o mercado composto por órgãos públicos, constituindo uma maneira de garantir o aumento de renda e o desenvolvimento regional sustentável, e de maneira mais rápida.
Leiam no site a matéria de formação de outra rede na região, a Rede Tarumã.
 

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM