Brasil vai exportar tecnologias de combate à fome

Rede Terra levará sua tecnologia agrícola a outros países por meio de convênio entre Fundação Banco do Brasil e FAO

Rede Terra levará sua tecnologia agrícola a outros países por meio de convênio entre Fundação Banco do Brasil e FAO


O Banco Comunitário de Sementes Crioulas, do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Apoio à Agricultura Familiar (Rede Terra) , de Cristalina (GO), poderá ganhar vida no exterior. Isso só será possível graças a um convênio assinado na última quinta-feira (15/8) entre a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura) e a Fundação Banco do Brasil, que prevê a exportação de tecnologias de produção de alimentos.
Desde 2001, a Fundação Banco do Brasil busca e certifica projetos inovadores de transformação social, que são reunidos em um banco de dados sobre tecnologias sociais.
Por meio dessa parceria, a Fundação Banco do Brasil irá buscar, dentro e fora do seu banco de dados de tecnologias certificadas, projetos que possam ser replicados em outros locais. A FAO, por sua vez, será a responsável por viabilizar recursos para a implantação dessas técnicas.
O Banco Comunitário é um projeto certificado desde 2009. O objetivo dessa estrutura é promover a troca de sementes de variedades tradicionais, possibilitando também a troca de informações sobre o cultivo entre as famílias de agricultores familiares. Por meio desse sistema, o custo de produção é reduzido, pois não é necessária a compra de sementes transgênicas – e de alto custo – pelos produtores rurais.
A cooperativa Rede Terra está filiada à Unisol Brasil desde novembro de 2010.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM