Cerca de 300 pessoas prestigiam o 1º Seminário Estadual Cataforte Logística Solidária

A UNISOL Brasil, em parceria com a Unitrabalho, promoveu o Primeiro Seminário Estadual Cataforte Logística Solidária “Construindo Novos Caminhos e Fortalecendo as Redes”. O evento, que contou com cerca de 300 pessoas, foi realizado no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC – Regional Piraporinha, no dia 22 de setembro. O objetivo foi mostrar a participação dos catadores de materiais recicláveis na coleta seletiva, reconhecidos como atores do sistema de limpeza pública. Ao fim do encontro, ocorreu uma grande festa para marcar a entrega dos 10 caminhões às cooperativas situadas nas regiões do ABC e Oeste de São Paulo, ação que ocorreu de forma simbólica durante a conferência RIO+20, em julho deste ano.
De acordo com o diretor presidente da UNISOL Brasil, Arildo Mota Lopes, o seminário apresentou aos presentes o que foi construído ao longo do projeto Cataforte. Ele também adiantou que haverá mais um seminário para que os catadores possam analisar os avanços e desafios do setor. “A reciclagem ainda precisa de apoio das entidades de representação. Nos últimos 10 anos o movimento teve muitos ganhos e um reposicionamento na sociedade. No entanto, é necessário conquistar mais ferramentas e trabalhar pela inovação tecnológica”, disse Lopes.

A assessora sênior da Fundação Banco do Brasil, Céssia Freitas de Figueiredo, acompanhou o andamento do projeto e a realização do seminário. Conforme explicou, o Cataforte é muito importante para a Fundação, principalmente porque foca na capacitação dos catadores, das lideranças das cooperativas, no fortalecimento das redes, além das questões estruturais para que eles consigam agregar maior renda.
Uma das pessoas que integrou a mesa de abertura do evento foi Ary Moraes, coordenador geral de Fomento a Economia Solidária da Senaes (Secretária Nacional de Economia Solidária), do MTE (Ministério do Trabalho e Emprego). Para Moraes, a parceria entre governo e sociedade civil foi fundamental para o sucesso de um trabalho. “A UNISOL, como entidade comprometida, organiza os catadores, forma cooperativas e avança em um projeto com o governo federal. Dessa forma, avançamos para um projeto de País que sonhamos – mais justo, soberano e solidário”, afirmou.
O diretor executivo da UNISOL Brasil e representante da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Teonílio Monteiro, o Barba, saudou o Movimento Nacional dos Catadores, o projeto Cataforte, pela iniciativa, além de entidades de representação. “Tenho orgulho de trabalhar dentro da área da Economia Solidária e estou aprendendo muito. Nosso apoio é irrestrito a toda iniciativa que venha ao encontro deste tema”, observou.
O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho de Diadema, Luiz Paulo Bresciani, comentou que a cidade tem longa tradição por colocar a Economia Solidária no centro da política municipal de trabalho e desenvolvimento. “Temos uma diretoria dedicada ao tema, uma incubadora publica formalmente constituída, envolvida em projetos do Programa Brasil sem Miséria, portanto, temos um quadro muito positivo e milhares de pessoas envolvidas”.
Palestras:
O presidente do Islog (Instituto de Logística do ABC), Roberto Macedo, ministrou, há dois meses, o curso  Logística e Atuação em rede, para grupos de catadores, com 80h de formação. No sábado, ele esteve presente no seminário com palestra que abordou o Primeiro Estágio do Potencial das Redes – Unitrabalho e Islog. Na ocasião, ele apresentou alguns dados das redes, como a capacidade de produção, transporte e produção por cooperado.
“Viabilidade dos modelos de cooperativa para o setor de reciclagem e resíduos sólidos” foi basicamente o tema abordado pelo assessor jurídico da UNISOL Brasil, Marcelo Mauad. “Ainda estamos vivendo a primeira grande fase de consolidação desses empreendimentos econômicos solidários e os desafios são enormes. Porém, existe uma exímia necessidade de compreender o que é trabalhar em grupo e enfrentar os riscos de um empreendimento”, ressaltou Mauad.
Confira abaixo o depoimento dos trabalhadores com materiais recicláveis sobre o seminário:
“O seminário é uma grande conquista que tivemos. Vejo como um sonho realizado e um dia que ficará para a história ao lado dos trabalhadores e instituições parceiras”.
Francisca Maria Lima Araujo – secretária da Coopcent ABC.
“Com o Cataforte tivemos a oportunidade de nos formar e passar esse conhecimento aos demais cooperados. Nosso maior sonho é olhar a cooperativa como empresa, mantendo sempre os princípios da Economia Solidária”.
Marineide Alves Santos – diretora de relações públicas da Coopernatuz.
“Para nós catadores a importância desse seminário é enorme. Podemos sim nos unir, trabalhar em rede e vencer”.
Sueli Regina de Oliveira – diretora presidente da Coopernatuz.
“O seminário nos proporciona muito conhecimento e assim a gente consegue desenvolver melhor o nosso trabalho”.
Zileide Elias – presidente do Núcleo Santa Fé.
“Nesse momento precisamos nos qualificar e ter a consciência do tamanho do nosso empreendimento, tendo comprometimento com a coleta seletiva, inclusão social e produção econômica”.
Armando Octaviano Junior – presidente da Coopercata.
[nggallery id=97]
 

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM