Conferência Regional de Economia Solidária discute políticas públicas

Com o objetivo de traçar políticas públicas para o setor, começou na última terça-feira (13), em Curitiba, a 3ª Conferência Regional de Economia Solidária, promovida pela Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Economia Solidária. Organizado pelo Escritório Regional de Curitiba, o evento conta com a participação de municípios da Região Metropolitana de Curitiba, do Litoral e do Vale do Ribeira, que durante todo o dia discutirão metas para elaboração de uma lei nacional para estruturar a Economia Solidária em todo País.
A Secretaria do Trabalho promoverá encontros semelhantes durante todo o mês de maio em cinco regiões do Estado. O próximo será em Guarapuava (20) e, depois, em Londrina (25), Foz do Iguaçu (26), Francisco Beltrão (27) e Maringá (29).
A chefe da Divisão de Economia Solidária da Secretaria do Trabalho, Maria Augusta Araújo, explica que os encontros regionais servem para que a secretaria tenha conhecimento das diferentes realidades do Estado e das peculiaridades vividas pelos cidadãos, o que norteará o marco legal de políticas de estado para o setor. “Nossa ideia é ouvir e debater propostas de baixo para cima, conhecendo as realidades de cada região, para que possamos traçar nosso plano às políticas de economia solidária”, explicou Maria Augusta.
Nos seis encontros regionais serão escolhidos delegados para a Conferência Estadual que acontecerá em 26 e 27 de junho, em Curitiba, da qual 56 delegados participarão, em Brasília, da Construção do Plano Nacional de Economia Solidaria. “Esse plano que está sendo traçado em conjunto com os governos federal, estadual e municipais, entidades de apoio e empreendedores econômicos solidários, servirá de rumo para que as políticas do setor sejam definitivamente implantadas de maneira séria e que beneficie todos da Economia Solidária. Hoje, cada governo dá o peso que quer para essas políticas e uma Lei Nacional garantirá a sustentabilidade de vários programas”, disse Maria Augusta.
O secretário estadual do Trabalho Amim Hannouche lembrou que a construção de um plano nacional de Economia Solidária irá promover o direito de centenas de famílias de produzir e viver de forma associativa e sustentável.
Representando o Poder Legislativo do Estado, o deputado Luiz Cláudio Romanelli, que foi secretário até abril de 2014, lembrou da importância do setor solidário e disse que é preciso estabelecer um mercado consumidor da produção e que, para isso, é necessária a criação de uma Lei federal para regulamentar a Economia Solidária no país.
“Antes de tudo, para implantarmos políticas públicas, é preciso que cada um se conheça e é isso que esses encontros regionais proporcionarão, para que no futuro possa ser criado um Fundo Estadual de Economia Solidária”, disse Romanelli.
Fonte: Governo do Estado do Paraná

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM