Cooperativismo do Mercosul é apresentado na Suíça e na Grécia

arildo-oit
No dia 9 de maio foi realizado em Genebra, na Suíça, o evento “Sindicatos e Cooperativas de Trabalho: O que estamos fazendo juntos”, organizado pelo Escritório de Atividades para os Trabalhadores (ACTRAV) da Organização Internacional do Trabalho (OIT). A partir de uma pesquisa realizada em 2012, o presidente da CICOPA Américas, Arildo Mota Lopes, e o presidente da CICOPA Mercosul, José Orbaiceta, foram convidados para participar e expor suas visões sobre o cooperativismo de trabalho e a relação com o sindicalismo no nosso continente.
Também estiveram presentes o secretário executivo da CICOPA Mundial, Bruno Roelants, o assessor da Central de Trabalhadores Argentinos Opositora, Bruno Dobrusin, o representante da Central de Trabalhadores de Quebec, Claude Dorion, Jurgen Schwettman e Pierre Laliberte, ambos da OIT.
Entre as problemáticas abordadas, o trabalhado se enfocou as principais preocupações da ACTRAV/OIT, relacionadas com a crise europeia, a construção de cooperativas como resposta à crise e o papel que devem assumir os sindicatos e as organizações de representação.
Lopes demonstrou como essa relação é estruturante a partir do caso da UNISOL Brasil, instituição a qual foi reeleito presidente no último mês de novembro, em sua parceria com o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (SMABC) e com a Central Única dos Trabalhadores (CUT).
Orbaiceta relembrou dos casos das empresas que foram recuperadas pelas mãos dos trabalhadores como cooperativas na Argentina e no Brasil e que o acompanhamento dos sindicatos foi muito importante.
O evento demonstrou um grande interesse em melhorar as relações existentes entre os sindicatos e as cooperativas de trabalho, já que em nível mundial, existe certo grau de desconfiança acerca das cooperativas de trabalho em razão da existência de cooperativas falsas e a precarização laboral.
Posteriormente, Arildo Mota Lopes e Jose Orbaiceta, se locomoveram para Atenas, na Grécia, onde também puderam expor experiências da conformação de cooperativas em processos de crise, empoderamento dos trabalhadores, relação dos sindicatos de trabalho e recuperação de empresas.
A constituição de cooperativas poderia ser uma alternativa na Grécia para enfrentar a crise econômica que assola o país na atualidade, visto que muitas micro-e-pequenas empresas estão encerrando as suas atividades. No entanto, a escassa experiência na prática da autogestão demanda aprofundamento dos conhecimentos deste modelo.
Neste sentido, a iniciativa da OIT, em parceria com a CICOPA Américas e Mercosul, demonstra que a cooperação, o intercâmbio e a formação de novas alianças, podem ser instrumentos importantes para fortalecer o movimento cooperativo e construir um mundo melhor.
Veja mais fotos abaixo:
[nggallery id=119]
Com o apoio da Área de Comunicação da FECOOTRA (Federación de Cooperativas de Trabajo – Argentina)

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM