Crescimento do mercado formal é necessidade no combate a má distribuição de renda

Arildo Mota Lopes representou o Brasil na OIT

Arildo Mota Lopes representou o Brasil na OIT


A necessidade de eliminação da informalidade no mercado de trabalho foi um dos pontos discutidos durante o seminário internacional Má Distribuição de Renda, Instituições do Mercado de Trabalho e Poder dos Trabalhadores. Realizado entre os dias 10 e 13 de dezembro, em Genebra, na Suíca, o seminário organizado pela OIT (Organização Internacional do Trabalho) discutiu o impacto da má distribuição de renda na sociedade e o papel de sindicatos e empreendimentos solidários no combate ao problema.
“Este simpósio deu às centrais sindicais a oportunidade de fazer um balanço do porquê as desigualdades estão crescendo nos últimos 30 anos. As discussões deixaram claro que é necessário experimentar novas ideias e construir novas alianças para que a realidade possa realmente mudar.”, destaca Pierre Laliberté, economista do Escritório de Atividades para os Trabalhadores da OIT.
Durante o evento, Arildo Mota Lopes, presidente da Unisol Brasil compôs a mesa de discussão sobre políticas alternativas e iniciativas em prol da justiça social. Na discussão, ele teve a companhia de Ruben Garrido, secretário internacional da Central de Trabalhadores da Argentina, Sihan Ahmed, diretor de Gênero, Mulheres e Juventude do Congresso de Sindicatos da Tanzânia e Jayawant Bhosale, tesoureiro da Assembleia dos Trabalhadores da Índia.
 
 
 

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM