Delegação brasileira debate agricultura familiar e alimentação escolar, em Cuba

Começou na terça-feira, 27 de maio, e segue até amanhã, 30 de maio, em Cuba, a Oficina sobre o vínculo entre Agricultura Familiar e Alimentação Escolar, que reúne técnicos cubanos e brasileiros em uma agenda de intercâmbio de informações e experiências para a produção e a segurança alimentar dos dois países. As atividades são realizadas em Havana e contarão com representantes de instituições federais brasileiras.
“Estamos num momento de compartilhamento de conhecimento e estabelecendo uma relação bilateral em prol dos agricultores familiares brasileiros e cubanos”, assinala o diretor do Departamento de Geração de Renda e Agregação de Valor (DGRAV), da Secretaria da Agricultura Familiar, Onaur Ruano, que representa o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) no encontro.
“A atividade faz parte de um processo bilateral em que uma delegação brasileira participa da oficina e o Brasil vai receber, ainda em 2014, uma missão cubana”, diz Ruano. O diretor observa, ainda, que interessa ao Brasil conhecer a experiência de sucesso em agroecologia desenvolvida em Cuba.
Interesses comuns
“Cuba é hoje uma das principais referências internacionais da produção e aplicação do conhecimento em agroecologia e os cubanos têm interesse nas políticas brasileiras de fortalecimento da agricultura familiar, como o crédito, Ater e seguro”, afirma o chefe da Assessoria para Assuntos Internacionais e de Promoção Comercial do MDA, Caio França. “Há um mútuo interesse dos dois países de ampliar a relação de cooperação em agropecuária, assistência técnica e extensão rural”, completa.
A delegação brasileira participa de duas visitas de campo a cooperativas – de crédito e de produção de alimentos, nesta terça-feira, com representantes da Secretaria da Agricultura Familiar do MDA; dos ministérios da Educação; da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; e do FNDE, entre outras instituições.
A oficina é realizada pelo Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas, com apoio do governo brasileiro, com objetivo de pensar modelos e oportunidades para a ligação entre a agricultura familiar e a produção de alimentos para programas sociais. Foi elaborada a partir da experiência do Brasil na implementação de programas como o PAA – de Aquisição de Alimentos – e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).
Fonte: MDA

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM