Economia Solidária, produção de mel e derivados, turismo cooperativo: 20º Congresso Brasileiro de Apicultura

Sitonho, da Casa Apis, ao lado de modernas máquinas para processamento do mel

Sitonho, da Casa Apis, ao lado de modernas máquinas para processamento do mel


De 05 a 08 de novembro acontecerá, em Belém, no Pará, o 20º Congresso Brasileiro de Apicultura (CONBRAPI), Sustentabilidade, Tecnologia e Mercado. Simultaneamente, também, será realizado o 6º Congresso Brasileiro de Meliponicultura e a EXPOAPI – Feira de Negócios 2014.
A Unisol está apoiando a participação da afiliada, a Central de Cooperativas Apícolas do Semiárido Brasileiro (Casa Apis), do Piauí, no evento, assim como estará participando do Simpósio, no dia 07/11. Confira:
Das 14h às 16h – Simpósio 9
– Cooperativismo e Economia Solidária no Brasil
* Cooperativismo de Crédito: exercício de cidadania para inclusão financeira – Carlos Edilson Santana dos Santos (SICOOB AMAZÔNIA);
* Turismo Cooperativo: potencializando a propriedade rural e o meio ambiente – Francisco Pessoa (PA);
* Cooperação, Inovação e Inclusão Social – Antônio Alexandre da Silva (UNISOL Brasil/DF);
* Apicultura Solidária: Competitividade e Sustentabilidade – Antônio Leopoldino Dantas Filho (CASA APIS).
O evento é realizado pela Confederação Brasileira de Apicultura e ocupará o Centro de Convenções e Feiras da Amazônia (HANGAR).
A CASA APIS tem uma expressiva história de crescimento e inclusão e é liderada por Antonio Leopoldino. Até outubro de 2013, possuía 42 mil colmeias e 37 unidades de extração e processamento espalhados pelo estado do Piauí, envolvendo cerca de 950 famílias cooperadas, que contribuem para o sucesso do empreendimento, que possui certificação de produto orgânico e equipamentos modernos. Em 2014, conseguiu fechar acordos de fornecimento de mel para grandes redes de supermercado na região Sul e Sudeste e tem exportado mel para a Europa.
Segundo Wellington Dantas, gerente comercial da CASA APIS, o mel orgânico é vendido em potes de vidro, bisnaga e spray com própolis. Em 2013, mais de 60 toneladas foram vendidas no Brasil. “Estamos com propostas em andamento no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) para estocar, comprando dos nossos cooperados. Já fazemos parte do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae)”, ressalta Wellington Dantas.
O clima no Estado do Piauí é propício para floradas nativas encontradas em ambiente natural, possibilitando a produção de um mel totalmente puro, sem agrotóxicos ou resíduos químicos. A flora piauiense é rica em espécies importantes como marmeleiro, mofumbo, angico-de-bezerro, bamburral, jurema e jitirana. Uma curiosidade na apicultura é que o mel produzido é divido em tipos e subtipos conforme sua densidade e coloração. A umidade máxima, medida com equipamentos especiais tem de ser, no máximo, de 18%. Quanto mais claro for o mel, mais valor ele tem no mercado.“O mel white é o mais claro e chega a atingir US$ 3,80 o quilo. O extra white âmbar é o segundo mais valorizado e pode ser comercializado até a US$ 3,50, seguido do âmbar cujo preço é de no máximo US$ 3,30”, comenta Leopoldino.
Além da generosidade da natureza, os apicultores piauienses ganharam outro presente. O CENTAPI – Centro Tecnológico em Agronegócios Familiares do Piauí, envolvendo a cadeia produtiva da apicultura. Construído e entregue em 2014, ao lado da Casa Apis, no bairro Pedrinhas, no município de Picos, a 307 quilômetros de Teresina, na região sudeste, o centro tem uma estrutura moderna e vai focar o ensino da apicultura e a preparação do produtor para o mercado.
CASA APIS – Surgimento
Fundada em 02 de Julho de 2005 no município de Picos (PI), a CASA APIS, foi estruturada e constituída no âmbito do PROMEL, Programa de geração de emprego, renda e combate a pobreza, no nordeste brasileiro. Este programa tem como base o referencial metodológico para atuação em cadeias produtivas, envolvendo populações pobres e possui o intuito de fomentar a apicultura no país.
O objetivo da CASA APIS é fortalecer o cooperativismo apícola, por meio da implantação de uma agroindústria de tecnologia moderna e competitiva, dinamizando a produção e a qualidade, o beneficiamento e a comercialização dos produtos da abelha, com foco na agregação de valor e retorno dos resultados para os produtores, por meio da prática de preços justos.
Seus associados estão distribuídos entre os estados do Piauí e Ceará, nos seguintes municípios: Anízio de Abreu, Belém do Piauí, Itainópolis, Batalha do Piauí, Pio IX, Francisco Santos, Marcolândia, Calderão Grande do Piauí, Padre Marcos, Piripiri, Santana do Piauí, Simões, Valença, São João da Canabrava, Barro Duro, Campo Maior, Piracuruca, Piripiri, São Raimundo Nonato, Patos do Piauí, Jaicós, Acauã, Campo Grande do Piauí, Inhuma, Massapê, Monsenhor Hipólito e Barbalha (CE). Atende atualmente cerca de 1.500 famílias, sendo que destas, 95% são de agricultores familiares.

 

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM