Ecouni atrai interesse de empreendimentos da economia solidária

Produtos da Unimáquinas (esq.) e Unipol atendem aos conceitos exigidos pela Unisol Brasil para uso da marca Ecouni.

Produtos da Unimáquinas (esq.) e Unipol atendem aos conceitos exigidos pela Unisol Brasil para uso da marca Ecouni.


Pouco mais de um ano depois de ter sido lançada pela Unisol Brasil, a Ecouni foi adotada por duas cooperativas e em breve outras seis passarão a comercializar produtos da marca, prova de que a iniciativa foi acertada. A linha Ecouni tem como diferencial ser fabricada dentro de conceitos de sustentabilidade e a expectativa é de que atraia o interesse de mais empreendimentos.
“Os empreendimentos devem apresentar diferenciais nos aspectos econômico, social e ambiental. Inclusive, antes de concedermos o direito de uso da marca, fazemos a devida verificação para termos certeza de que o solicitante atende as exigências”, afirmou Victor Mellão, gerente executivo da Unisol Brasil.
Dos empreendimentos que já adotaram a marca, a Unimáquinas, fabricante de máquinas de São Bernardo do Campo (SP), a utiliza em sua linha de produtos reciclados, feitos a partir de sobras de aço inox. Já a Unipol, de Joinville (SC), desenvolve produtos a partir de materiais recicláveis como o plástico. Como exemplo, recipientes de água sanitária são reaproveitados na fabricação de grelhas para bueiros.
Em breve a marca Ecouni estará nos produtos fabricados pela Cooperget, Charlotte e Hidrocoop, de São Paulo; Coopertrim, de Minas Gerais; Coopnatural , da Paraíba; e Cocajupi, do Piauí.
Presidente da Coopnatural e secretária de Mercado e Inovação da Unisol Brasil, Maysa Gadelha espera obter o selo Ecouni a tempo de lançar uma linha da marca ainda este ano.
“A Ecouni é uma marca que pode ser usada como diferencial, pois carrega o conceito de produto limpo do ponto de vista do impacto ambiental e respeito social. Por essa razão, minhas expectativas são bastante positivas, pois acredito que ela abra um mercado a mais para cooperativas como a que presido”, comentou Maysa.
Situada em Campina Grande, a Coopnatural, que atua na cadeia do algodão colorido, não terá dificuldade para comprovar sua condição de empreendimento sustentável, já que recebeu recentemente do Ministério do Desenvolvimento Agrário o Selo da Agricultura Familiar e também possui outros dois selos do governo federal: o de Produto Orgânico e o de Indicação Geográfica.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM