Empreendimentos solidários terão certificação

Secretário

Segundo Clóvis Eduardo Aguiar, reunião deve definir primeiros empreendimentos certificados


O governo do Rio Grande do Sul lançou oficialmente, no dia 18 de novembro, o Certificado de Economia Solidária. O objetivo é possibilitar que a identidade dos empreendimentos seja reconhecida publicamente, o que ajudará cooperativas e associações a participarem de licitações e programas governamentais.
O secretário de Resíduos Sólidos da Unisol Brasil, Clóvis Eduardo Aguiar da Silva, disse que será realizada uma reunião na Unisol RS para definir os empreendimentos que já estão aptos para receber a certificação. “Apoiamos a iniciativa do governo porque a certificação é emitida com base em critérios específicos. Há muitos empreendimentos que se dizem de economia solidária, mas não são. Em outras palavras, a certificação ajudará a evitar esse tipo de fraude”, comenta.
Entrega – A cerimônia de lançamento da certificação contou com a presença do governador Tarso Genro e do secretário da Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa, Maurício Dziedricki. Ambos entregaram o primeiro certificado emitido ao presidente da Cooperativa de Sociólogos Solidários (Coopssol), Eder Luiz Lazzaroto.
Tarso Genro comentou que a certificação representa uma nova visão de desenvolvimento e de empreendedorismo, que projeta um novo mundo, com um novo modo de produzir. “A economia solidária articula os agentes da produção para fortalecerem as relações de solidariedade. Ao contrário da economia capitalista em que sua natureza é de disputa”, destacou o governador.
Para Dziedricki, a identidade da economia solidária por meio da certificação vai universalizar o conceito no âmbito estadual como também avançar para a certificação nacional. “O certificado, que é emitido pelo Conselho Estadual de Economia Solidária-Cesol, é um documento imprescindível para que os cerca de 3.000 empreendimentos gaúchos possam participar do processo de compras coletivas do governo do Estado. A lei propõe que 30% das compras governamentais sejam procedentes da economia solidária e da agricultura familiar”, lembrou o secretário.
Cada empreendimento terá direito a um certificado desde que aprovado pelo Cesol e que observe as linhas gerais já definidas entre elas, a autogestão coletiva, democracia interna e distribuição equitativa das retiradas. O conselho já realizou nove audiências públicas para a constituição da Comissão Certificadora dos Empreendimentos da Economia Solidária nas diferentes regiões.
Interessados na certificação deverão acessar o site da Sesampe www.sesampe.rs.gov.br seguir as orientações e enviar a solicitação para certifica@sesampe.rs.gov.br.
Com informações da assessoria de imprensa da Sesampe

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM