Estação de Metarreciclagem inaugura unidade em Goiás

MetarreciclagemFoi inaugurado no último dia 25, em Valparaíso de Goiás (GO), a quinta unidade do projeto Estação de Metarreciclagem. A iniciativa, coordenada pela ONG Programando o Futuro, tem como objetivo fornecer um espaço para reciclagem de lixo eletrônico e de treinamento de jovens e adultos em oficinas de informática.O evento contou com a participação de Arildo Mota Lopes, presidente da UNISOL Brasil, Luiz Carlos Simion, vice-presidente da Central de Cooperativas e de Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência da República.

Foi inaugurado no último dia 25, em Valparaíso de Goiás (GO), a quinta unidade do projeto Estação de Metarreciclagem. A iniciativa, coordenada pela ONG Programando o Futuro, tem como objetivo fornecer um espaço para reciclagem de lixo eletrônico e de treinamento de jovens e adultos em oficinas de informática.O evento contou com a participação de Arildo Mota Lopes, presidente da UNISOL Brasil, Luiz Carlos Simion, vice-presidente da Central de Cooperativas e de Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência da República.

Vilmar Simion Nascimento, coordenador-geral da ONG, explica que a escolha de Valparaíso foi estratégica. Além da cidade estar localizada a 30 quilômetros de Brasília, havia uma demanda por atividades voltadas para jovens de baixa renda. “O volume de material descartado pelos órgãos públicos é muito grande. O nosso espaço em Samambaia (DF) não estava dando conta”, ressalta.
A expectativa é que a nova unidade da Estação de Metarreciclagem processe uma média de 500 toneladas de aparelhos eletrônicos ao ano. No local, será realizado o processo de desmontagem e separação de componentes de computadores, impressoras e outros equipamentos, que então serão enviados para firmas de reciclagem.
Para este ano, serão disponibilizadas no espaço 1.000 vagas para cursos profissionalizantes em áreas como informática, eletrônica, manutenção de computadores e robótica.
Serão oferecidas ainda 100 vagas de estágio remunerado para jovens de baixa renda, que irão atuar no processo de desmontagem e recuperação de computadores. Neste caso, os equipamentos que apresentarem condições de uso serão recondicionados e doados para escolas, entidades sem fins lucrativos e bibliotecas públicas.
O trabalho da Estação de Metarreciclagem foi iniciado em 2003, numa parceria entre a Organização Não-Governamental e a Fundação Banco do Brasil, que realizou um aporte de R$ 5,1 milhões na iniciativa. Desde o ano passado, o projeto é considerado pela Fundação uma tecnologia social. Além de Valparaíso de Goías, as estações estão em operação nas cidades de Samambaia (DF), Teresina (PI), Contagem (MG) e São Paulo (SP).
Para os próximos anos, a meta da ONG é aumentar em 30% a meta anual de processamento de eletrônicos, assim como o número de vagas oferecidas nos cursos profissionalizantes das unidades da Estação.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM