Extratora de óleo agrega valor à produção

Prensa permitirá extrair óleo de culturas como o gergelim e aumentar o rendimento dos agricultores

Prensa permitirá extrair óleo de culturas como o gergelim e aumentar o rendimento dos agricultores


Iniciativa da Associação da Escola Família Agrícola da Fronteira (Aefaf), de Ponta Porã (MS), possibilitará a 108 famílias agregarem valor à produção orgânica de oleaginosas. A entidade adquiriu uma máquina extratora de óleo a frio, por meio do Projeto Voluntários BB da Fundação Banco do Brasil.
De acordo com o coordenador do setorial da Agricultura Familiar da Unisol Brasil, Vítor Carlos Neves, a máquina (uma prensa) também permite extrair óleo do caroço do algodão e da semente do maracujá, culturas presentes no assentamento Itamarati, onde vivem os agricultores familiares que participam do empreendimento.
No entanto, o foco será a obtenção do óleo a partir do gergelim, semente do girassol, canola ou chia. O quilo do gergelim in natura, por exemplo, é vendido a R$ 2 ou R$ 2,50 e rende 500 ml de óleo. “Como o litro é vendido a R$ 60, conseguiremos faturar R$ 30 por quilo prensado”, calcula Neves.
O curioso é que a máquina foi adquirida em 2010, mas, por questões burocráticas, a associação não conseguia autorização para adequara a energia elétrica à voltagem necessária para fazer a prensa funcionar.
Com o problema resolvido, a perspectiva é plantar dois hectares por família (rendimento de 800 a 1000 quilos por hectare). O plantio de gergelim é melhor que ocorra no verão. Em contrapartida, girassol, canola ou chia deve ser semeado no inverno.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM