Fundação Banco do Brasil promove encontro para aliança entre fundações

Dirigentes de organizações da sociedade civil se reuniram em Brasília para conhecer o papel da Rede Internacional de Fundações e discutir a criação de um polo regional na América do Sul. O principal objetivo deste encontro foi propor a construção de um polo regional da Rede Internacional de Fundações na América do Sul, visando a redução das desigualdades sociais, econômicas e ambientais.
A Rede Internacional de Fundações promove a internacionalização das relações, intercâmbios e programas de troca de experiências entre as organizações participantes. A iniciativa começou na Europa, já passou pela América do Norte, América Central e a proposta agora é que seja criado um polo na América do Sul.
As organizações convidadas que participaram do evento foram a Fundação Parque Tecnológico de Itaipu, Fundação Odebrecht, Fundação Orsa, Fundação Vale, Fundação Araucária, Instituto Camargo Corrêa, Instituto Votorantim, Instituto Oi Futuro, Fundação CSN (Companhia Siderúrgica Nacional), Fundação AVINA, GIFE (Grupo de Institutos, Fundações e Empresas) , um representante do IV Encontro Internacional de Fundações que faz parte da Rede Internacional de Fundações e o IDIS esteve presente representado por seu diretor-presidente, Marcos Kisil.
Segundo Jorge Streit, presidente da Fundação Banco do Brasil, o Encontro foi importante para alinhar o posicionamento das instituições brasileiras e deliberar de que maneira elas podem atuar juntas. “A iniciativa é inédita no Brasil e tem como desafio reunir frentes de trabalho, já que cada instituição possui um escopo de atuação. Ao final do Encontro constatou-se a necessidade de que cada fundação e instituto mobilize sua rede de parceiros e que outras instituições na América do Sul sejam envolvidas nos debates.”
Streit afirma que diversos encontros como este devem acontecer ao longo do ano. A expectativa é de que a Fundação BB seja a articuladora dessa rede de instituições. “Somente após alinharmos o maior número possível de fundações sul-americanas é que poderemos traçar a formalização de um pólo regional”, diz Streit. “Como a experiência já acontece em outros continentes e estamos recebendo informações técnicas desses parceiros internacionais, esperamos que o processo por aqui seja concretizado em menos tempo.”
Além disso, com a criação do Polo Regional da Rede Internacional de Fundações na América do Sul, as instituições que atuam em prol do Desenvolvimento Sustentável no Brasil poderão ampliar a escala de resultado de seus projetos. “É de fundamental importância o envolvimento de fundações e institutos nacionais para a criação dessa rede. Em tempos de interfaces de economias, nada mais natural que investimentos sociais otimizados e objetivos planejados em conjunto”, explica Streit.

Foto: Arquivo Fundação Banco do Brasil.


Fonte: Assessoria de Comunicação da Fundação Banco do Brasil.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM