III Conferência de Economia Solidária de São Paulo reúne mais de 300 pessoas

Foto: Douglas Moreira

Com o objetivo de elaborar um plano de Economia Solidária estadual, pensar em subsídios e eleger delegados para a conferência nacional e desenvolver e fortalecer a Economia Solidária no estado, aconteceu entre os dias 15 e 17 de maio, na cidade de São Bernardo do Campo, a III Conferência de Economia Solidária de São Paulo.
O evento reuniu cerca de 350 pessoas, entre elas empreendimentos de Economia Solidária, entidades de apoio, gestores públicos, universidades e sindicatos. O secretário nacional de Economia Solidária, Paul Singer, também esteve presente.
A UNISOL Brasil participou da Conferência representada pelo seu presidente, Arildo Mota Lopes, por técnicos e cooperativas filiadas à Central.
“O evento foi de fundamental importância, pois possibilitou aos diversos atores envolvidos diretamente com a temática da Economia Solidária debaterem nestes três dias propostas consistentes, visando um Plano Nacional de Economia Solidária concomitante à Lei Geral da Economia Solidária”, disse Elizabete Rocha, técnica da UNISOL Brasil.
Durante as discussões ficaram decididos dez eixos que serão apresentados pelo estado na conferência nacional de Economia Solidária, que acontece do dia 26 a 29 de novembro. Entre os pontos estão criar locais de comercialização de produtos da Economia Solidária, em locais de grande circulação de pessoas como praças, parques públicos, aeroportos e rodoviárias, por meio de parcerias entre empreendimentos da Economia Solidária e o poder público; exigir que a lei que dispõe sobre a Política Nacional de Economia Solidária e cria o Sistema Nacional de Economia Solidária, seja encaminhada em regime de urgência no Congresso Nacional; e criar mecanismos de financiamento para finanças solidárias como: bancos comunitários, fundos rotativos, cooperativas de crédito e moeda social, para facilitar o acesso ao crédito sem burocratização para possibilitar o desenvolvimento territorial.
No Brasil, a Economia Solidária está se expandindo, principalmente nos segmentos populacionais mais vulneráveis. Em 2012 foram mapeados 33.518 empreendimentos de Economia Solidária no País. Cerca de 80% da economia solidária do Brasil é formada por empreendimentos de agricultura familiar, artesanato e coleta seletiva.
O estado de São Paulo tem mais de 1000 empreendimentos de economia solidária, esses são distribuídos em produção, comercialização, serviços, finanças e consumo.
Veja mais informações no link http://migre.me/jhsl5

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM