TERÇAS DO ATER MULHER: Os Desafios e Oportunidades que são encontrados com a Assessoria Técnica Rural

Confira um pouco do que houve na 6ª Live do projeto Terças Ater Mulher

Na última terça-feira (o8/09), como parte do Projeto Terças do ATER Mulher, a Unisol Brasil trouxe em sua sexta edição o debate sobre Desafios e Oportunidades encontrados pela Assessoria Técnica Rural (ATER) em meio a Pandemia. Estiveram presentes nesse debate a Engenheira Agrônoma e Tesoureira da AMATER, Elisa Carvalho Lauer e também da Zootecnista e Coordenadora do Projeto Centro Sabiá, Juliana Peixoto.

Compreendendo que o agricultor e a agricultora familiar foram os grandes responsáveis para que o alimento não faltasse na prateleira do supermercado nem na mesa do consumidor, e, para isso, os serviços de assistência técnica e extensão rural (Ater) continuaram presentes, mesmo que virtualmente, procurando assistir e dar suporte à essas famílias rurais com alternativas para que seus produtos pudessem ser produzidos e comercializados, o espaço de discussão na live girou bastante entorno das propostas e desafios que exigiram grande esforço para a realização dos atendimentos em ações coletivas e individuais, sem prejuízo para o agricultor e a agricultora familiar.

O agricultor familiar teve a sua importância mais revelada nesse período de pandemia. A necessidade de uma distribuição de alimentos mais eficiente para atendimento a população de maior vulnerabilidade foi suprida graças ao trabalho dos  agricultores e das agricultoras que atuaram como elo entre quem está no campo, produzindo alimento saudável, e quem está na cidade, necessitando desse alimento.” afirmou Elisa Carvalho Lauer, em uma das suas falas.

Entendendo o protagonismo da mulher rural e a necessidade de se debater mais sobre essa realidade, o Projeto Terças do ATER Mulher vem trazendo um espaço de troca de experiências e saberes sobre tudo o que gira em torno de uma política de Assistência Técnica Rural e dos desafios enfrentados pelas mulheres na construção desse protagonismo no campo.

“Temos percebido que nesse período de pandemia houve um crescimento da comercialização nas comunidades. Se antes (o comércio) era mais tímido, como as famílias acabaram ficando muito tempo sem ir para a cidade, as famílias da região passaram a comprar os produtos que os agricultores que estavam com excedente tinham.” Afirmou Juliana Peixoto.

Dentre esses, foram também abordados assuntos referente a números conquistados nesse período, estratégias utilizadas para a prevenção do vírus Covid-19 e para a continuidade da produção, já que estamos em período de chuva (período fértil), e muito mais.

A live completa está disponível no Facebook e Youtube da Unisol Brasil. Lá você poderá conferir os detalhes e curiosidades dessa conversa.

O Projeto Terças do ATER Mulher continua até o final de Setembro, sempre voltado para debater temáticas que fortalecem e dão visibilidade ao protagonismo das mulheres do campo e a ATER como agente indutor. Você pode acompanhar as lives ao vivo através do Facebook e Youtube da Unisol Brasil.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM