Medidas para ano do cooperativismo são discutidas na Agrobrasília 2012


“Este é um ano emblemático que traz muita expectativa e responsabilidade”, avaliou Luis Fernando Tividini, coordenador de apoio a organizações associativas do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), fazendo alusão a 2012: o ano do cooperativismo – determinado pela Organização das Nações Unidas (ONU). O coordenador ainda ressaltou a importância do modelo de desenvolvimento. “O trabalho cooperado fortalece o setor econômico, social e cultural. Tudo de forma sustentável”, garante.
A ponderação de Tividini ocorreu durante o debate sobre a atual conjuntura do cooperativismo no Brasil, nesta quarta-feira (16), na 5ª edição da Agrobrasília – a grande feira do cerrado brasileiro, que acontece no Parque Tecnológico Ivaldo Cenci, por meio do Programa de Assentamento Dirigido do Distrito Federal (PAD-DF).
“É necessário ouvir as entidades representativas para estabelecer as políticas públicas setoriais efetivas”, afirmou Vera Daller, diretora do Departamento de Cooperativismo e Associativismo (Denacoop) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Vera ainda confirmou que o trabalho de organização do ano comemorativo, iniciado em dezembro de 2011, é continuo.
Realizado em forma de talk show – tipo de debate onde um grupo de pessoas se reúne e discute vários tópicos que são sugeridos –, o evento reuniu representantes de vários Ministérios e entidades representativas do setor, além de cooperados de todo o Brasil.
O mediador das discussões, Luiz Lesse Moura Santos, técnico do Denacoop e presidente da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Servidores do Poder Executivo Federal em Brasília, foi escolhido para a função por conseguir analisar ambos lados do discurso. “Os debates foram enriquecedores”, afirmou. “Podemos ver com clareza que no governo temos pessoas com espírito cooperativista, com comprometimento e boa vontade”, acrescentou.
Alertando acerca dos desafios do modelo de desenvolvimento de cooperação, o diretor presidente da Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários – A Unisol –, Arildo Mota Lopes foi um dos representantes da sociedade civil no evento. “A grande questão é criar consensos entre as diversas instâncias de poder e aprovar o marco legal que fomente homens e mulheres cooperados”, concluiu.
A criação de uma moeda comemorativa, um sorteio de extração da loteria federal e um ato no Congresso Nacional no dia do cooperativismo, em julho, estão previstos na pauta de comemoração do ano do cooperativismo, segundo a gerente de Relações Institucionais da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Tânia Zanella.
Educação Cooperativista e o combate ao êxodo rural
Cada vez mais jovens saem do meio rural e buscam nas cidades oportunidades de crescimento – o chamado êxodo rural da juventude. A fim de gerar a sucessão de filhos e filhas de agricultoras familiares no campo, um tema muito debatido foi a educação cooperativista.
Projetos como Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), e o Programa Nacional de Educação do Campo (Pronacampo) e o Procoop Jovem – Projeto de Estímulo e Promoção do Cooperativismo para a Juventude -, foram amplamente discutidos. A exemplo de projetos anteriores, criados pela OCB, como Jovens Lideranças e Cooperjovem, as novas propostas que visam inserir programas educacionais construídos a partir dos princípios, valores e da prática da cooperação foram bastante elogiados.
2012 Ano do Cooperativismo
O Ano Internacional das Cooperativas, instituído pela ONU, em 2009, por meio da Resolução A/RES/64/136, é uma resposta à demanda da Aliança Cooperativa Internacional (ACI), que têm como objetivo comum buscar o desenvolvimento econômico sustentado, a atenuação da pobreza e a intercooperação.
Ao determinar um ano internacional a ONU busca chamar a atenção de todos os atores sociais para temas relevantes e mundiais. Com o mote: “Cooperativas constroem um mundo melhor”, a temática reflete não apenas o espírito cooperativista, mas também o compromisso do segmento com o desenvolvimento global.
O objetivo da comemoração é encorajar os governos para estabelecer leis e regulamentos que proporcionem a criação, o crescimento e a sustentabilidade das cooperativas e seus associados e, ainda, gerar uma consciência mundial sobre a importância do modelo de cooperação sobre a realidade socioeconômica.
Espaço do MDA na Agrobrasília
O MDA , pelo terceiro ano, participa do evento com um estande de mais de mil metros quadrados, onde estão expostos mais de trinta itens entre máquinas, equipamentos e implementos agrícolas que podem ser financiados pela linha de crédito do Pronaf Mais Alimentos. No mesmo espaço os agricultores familiares têm a chance de conhecer a ferramenta virtual Rede Brasil Rural (RBR), a mais nova política pública do Ministério criada para organizar todas as etapas da cadeia produtiva dos empreendimentos da agricultura família – da produção ao mercado consumidor.
Nesta quarta-feira (16), foi realizada uma capacitação sobre a RBR no espaço do MDA com a participação de 15 cooperativas da agricultura familiar de todo o Brasil. Uma equipe do MDA apresentou a nova ferramenta virtual e o seu funcionamento.
O espaço está aberto ao público no horário das 08h as 18h, na Agrobrasília. O estande do MDA conta com a parceria da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers) e Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotivos (Anfavea).
Acompanhe a galeria de foto do estande da UNISOL Brasil na Agrobrasília, que reuniu uma série de produtos da Economia Solidária:
[nggallery id=72]
 

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM