Metalcoop assina acordo de financiamento com BNDES

A cooperativa Metalcoop, da cidade de Salto, assinou, no dia 25 de outubro, a escritura do contrato de financiamento com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), no Rio de Janeiro. O projeto havia sido aprovado pela Diretoria da instituição financeira em 30 de agosto deste ano. É a primeira vez que a Metalcoop capta recursos diretamente no BNDES. Já realizou outras operações, porém via Finame (Financiadora Nacional de Máquinas e Equipamentos).
O acordo foi assinado na presença da doutora Nelly, do Cartório do 21º Oficio de Notas do Rio de Janeiro, de Dalmo Hiroshi Araújo Fugita, advogado do BNDES e responsável pela análise jurídica do projeto, de Marcos Matias Cavalcante, Contador e responsável pela análise financeira do projeto, além de mais duas testemunhas.
O financiamento contempla R$ 6,6 milhões e mais R$ 464 mil, com prazo de 11 anos para pagar. O primeiro valor será destinado ao pagamento pela aquisição da unidade industrial que a Metalcoop utiliza em suas operações, cujo imóvel possui 20.559 metros quadrados e 8.450 metros quadrados de área construída, e ainda para duas prensas mecânicas e um forno industrial. Todos estes bens eram da empresa anterior à Metalcoop e foram adquiridos em leilões na Justiça Trabalhista, entre novembro de 2010 e março de 2011.
O valor de R$ 464 mil provém do “BNDES Fundo Social” e será investido na formação e capacitação dos sócios e empregados da Metalcoop, por um período de três anos. E sendo um recurso proveniente do Fundo Social, ele não necessita ser reembolsado ao banco.
A Metalcoop atua diretamente no mercado nacional. Porém, a maioria dos clientes são grandes empresas multinacionais, que atendem às montadoras de caminhões e ônibus em todo o mundo. A cooperativa se utiliza do processo de extrusão a frio de metais, também conhecido como forjamento a frio. Produz eixos, semi-eixos e luveiras basicamente destinados aos fabricantes de sistemas de transmissão automotiva. Hoje o empreendimento conta com a participação de 130 trabalhadores.
“A aprovação desse financiamento vem possibilitar à cooperativa findar o ciclo de aquisições necessárias ao seu pleno funcionamento. Avaliamos que esse financiamento proporcionou à cooperativa a oportunidade de se tornar proprietária de todos os ativos necessários à sua atividade, neutralizando os riscos pertinentes de se ter uma unidade industrial alugada”, disse o presidente da Metalcoop, Mauro Alves Martins.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM