Movimentos sociais da Bahia lançam Comitê Popular Solidário nesta quarta-feira, 08

Com o objetivo de unir forças, mobilizar as comunidades e construir um projeto coletivo de intervenção social para enfrentamento aos impactos do Covid-19, movimentos sociais da Bahia lançam nesta quarta-feira (08), às 14h, pela internet, o Comitê Estadual Popular Solidário. A iniciativa reúne representações de mais de 50 entidades da agricultura familiar e economia solidária presentes em todos os Territórios de Identidade, artistas, lideranças sindicais e políticas. Desde o início das medidas sanitárias no estado, o grupo tem se reunido para formular estratégias de incidência política e de fomento à participação da sociedade civil.

Na ocasião, o Comitê também fará o lançamento de um Manifesto com propostas para contribuir com os governos na adoção de medidas, principalmente nas áreas social e econômica. Uma das sugestões é a retomada do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) com Doação Compartilhada, garantindo alimento saudável da agricultura familiar às populações vulneráveis do campo e da cidade.

“Estamos unidos para construir mecanismos de superação desta crise, capazes de orientar e formular políticas na perspectiva de garantir os direitos humanos, a saúde, a segurança alimentar e nutricional, a assistência social às pessoas vulneráveis, a manutenção dos empregos dos trabalhadores e trabalhadoras, sobretudo das populações do campo e das periferias das cidades, dos grupos da agricultura familiar e da economia solidária”, afirma parte do documento.

No texto, as entidades demonstram preocupação com as consequências da pandemia no Brasil, criticam o presidente Jair Bolsonaro pelo descumprimento das recomendações de isolamento social feitas pelas autoridades sanitárias, pela disseminação de fake news e as ameaças à classe trabalhadora. Também destacam a união dos governadores do Nordeste, aprovação da Renda de Cidadania Emergencial no Congresso Nacional, fruto da ampla mobilização popular, mas pautam a necessidade de ações estruturantes de proteção da vida, da saúde e da economia com o protagonismo da sociedade. “Resistimos e renovamos nossa esperança somando forças para fazer deste momento uma oportunidade de promover novas relações humanas, construir um projeto de transformação social popular e democrático, pensar uma nova economia e um novo modelo de sociedade pautado no desenvolvimento sustentável e solidário, na igualdade de gênero, raça e etnia”, afirmam em documento.

Anne Sena, Tesoureira da Unisol Brasil  e presidenta da Unisol Bahia, destaca “Para a Unisol Brasil, a participação no Comitê Estadual, reforça nossa incidência acerca de estratégias de desenvolvimento de uma sociedade pautada no Bem-Viver no enfrentamento ao COVID 19 . Reafirmamos nosso compromisso em defesa da classe trabalhadora organizada junto às iniciativas populares, ao cooperativismo e à Economia Solidária.”

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do Comitê

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM