País deve crescer acima de 5,5% em 2011

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que o Produto Interno Bruto (PIB) deve crescer acima de 5,5% em 2011. O ministro ressaltou que a economia brasileira está em um caminho sólido de expansão de forma sustentável, com a inflação sob controle, e que deve registrar uma taxa média de crescimento do PIB entre 5,5% e 6% nos próximos quatro anos. Para 2010, ele acredita que o País vai avançar ao redor de 7%, o que não ocorria desde 1986, com uma expansão similar apenas à alcançada pela China e pela Índia neste ano.
 
Em palestra à noite em evento repleto de empresários na entrega do prêmio Valor 1000, ele destacou que o governo neste ano vai cumprir a meta do superávit primário equivalente a 3,3% do PIB. “Sou ministro há pouco mais de quatro anos e sempre cumpri o prometido, inclusive gerando superávit primário acima do esperado. E posso garantir que neste ano vamos cumprir a meta do superávit primário”, comentou, sem detalhar se tal objetivo seria atingido com ou sem o desconto dos investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
 
O ministro ressaltou que, com os avanços na área social gerados pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cerca de 40 milhões de brasileiros ingressaram no mercado consumidor nos últimos oito anos, o equivalente à população da Espanha. Segundo ele, isso praticamente está permitindo a extinção da classe E, com a migração de seus integrantes para as classes D e C. Segundo ele, em valores absolutos, a renda da classe C no Brasil deve chegar a R$ 500 bilhões, superior ao valor da renda da classe A neste ano.
 
O avanço dos investimentos, que, segundo ele, devem crescer neste ano 20% ante 2009, é um dos principais fatores que estão permitindo a melhoria da renda da população e a evolução de indicadores sociais. Segundo ele, os investimentos em infraestrutura atingiram R$ 120 bilhões em 2009 impulsionados pelo PAC e pelo Minha Casa, Minha Vida. “O Brasil finalmente tem um programa de investimentos no longo prazo”, disse.
 
“Se os investimentos chegarem a essa expansão de 20% ao ano, que deve ser próxima a três vezes o avanço do PIB, será um número muito bom, pois gera muitos empregos e amplia a capacidade instalada das empresas”, afirmou. O ministro disse que a previsão de projetos de investimento no País dentro do PAC 2 é de aproximadamente R$ 1,3 trilhão no horizonte de tempo que supera 2014. “Devemos criar neste ano cerca de 2 milhões de empregos”, destacou. Segundo ele, isso significa que, em termos relativos, o Brasil estará criando mais empregos que a China, com uma população de 1,3 bilhão de pessoas e uma geração de 10 milhões de empregos.
 
“Estamos iniciando a criação de um Estado de bem-estar social”, afirmou. “Nossa renda per capita anual estava próxima de US$ 3 mil há cerca de dez anos e hoje está próxima de US$ 10 mil.” “Enfim, estamos comemorando o bom desempenho da economia em 2009 e 2010”, comentou o ministro.
 
Mantega destacou ainda que as eleições estão ocorrendo em clima de tranquilidade, sem turbulências econômicas e fuga de capitais, com investidores confiantes nas perspectivas econômicas do País nos próximos anos. “Estamos a apenas um mês das eleições com a economia bastante tranquila, diferente de outros períodos.”
 
Mantega, contudo, ressaltou que, apesar dos avanços nos últimos anos, o nível médio de renda do brasileiro ainda está distante do registrado em países desenvolvidos, próximo de US$ 30 mil por ano.
 
Fonte: O Estado de São Paulo
 

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM