Programa levará mais tecnologia aos agricultores familiares

MDA programa mais tecnologia

Convidado e Ministro Laudemir Müller (à esquerda)


Uma parceria do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) levará mais tecnologia para agricultura familiar brasileira. Foi lançado, nesta segunda-feira (13), em Brasília, o Programa Nacional de Inovação e Sustentabilidade na Agricultura Familiar. A ação prevê a formação de mais de quatro mil agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), que vão levar modernização e tecnologia para cerca de 420 mil famílias de agricultores. A execução das ações do programa foi firmada em dois convênios, com investimento superior a R$ 9,2 milhões.
O ministro do MDA, Laudemir Müller, explica que o acesso a novas tecnologias vai dar mais segurança aos produtores rurais. “O nosso País precisa de uma agricultura familiar forte para produzir alimentos. Esta não é uma ação isolada, ela se insere a um conjunto de políticas voltadas para garantir renda e produtividade aos agricultores familiares”, avaliou o ministro.
Segundo ele, os agentes de Ater terão mais capacidade para instruir e levar tecnologia aos agricultores familiares. “Consequentemente, os agricultores familiares vão produzir mais e gerar mais renda”, afirmou.
O presidente da Embrapa, Maurício Antônio Lopes, ressaltou a pluralidade do rural brasileiro e apontou o caminho para driblar os desafios. “Temos que superar os gargalos, para que o conhecimento e a tecnologia cheguem para todos os milhões de agricultores familiares brasileiros. Essa é a nossa missão”, observou.
Componente do Programa Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Pronater), o projeto tem como objetivo intensificar o processo de inovação na agricultura familiar.
Os 4.060 técnicos formados passarão pelos três pilares estruturantes do programa: Oficinas de Concertação, que são fóruns de trabalho com participação de gestores e lideranças de Ater; Eventos Temáticos, que consistem no compartilhamento e na organização de conhecimentos e tecnologias; e Cursos de Formação, direcionados prioritariamente aos agentes para que eles se atualizem tecnologicamente e metodologicamente.
Fonte: MDA.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM