Projeto com Algodão Agroecológico da Justa Trama faz nova parceria internacional

Justa Trama no MS Credito Vitor Carlos Neves 2

Membros dos EESs em reunião em São Gabriel (MS) para a amplição das parcerias. Crédito: Vitor Neves


Fortalecer a produção do algodão agroecológico no Mato Grosso do Sul (MS), com comercialização justa e solidária. Este é o norte da ação levada à frente por meio do Coordenador do Setorial da Agricultura Familiar, Vitor Carlos Neves e pela Unisol MS, com o assessor técnico do Mato Grosso do Sul, Ari de Souza.
Em visita no estado do MS na primeira quinzena de setembro, Neves e membros dos EESs envolvidos estiveram reunidos em São Gabriel (MS) para discutirem as próximas etapas da iniciativa que está dentro do projeto “A trama do Algodão que Transforma” viabilizado pela Petrobras. Veja matéria aqui
Neves aponta a oportunidade dos agricultores terem uma nova forma alternativa de produção, com agregação de valor aos trabalhos desenvolvidos em suas propriedades. “A expectativa é atingir uma produção de 15 mil Kg de pluma por safra, direcionada para a Justa Trama. São Gabriel é onde estamos iniciando as apresentações do projeto do algodão agroecológico, e esta ação está sendo desenvolvida também em Rio Verde do Mato Grosso, Jaraguari, Jardim, Coxim, Sidrolândia e Aral Moreira. Além dos municípios que já produziram para Justa Trama nesta safra, que são Ponta Porã, Corumbá e Terenos. Serão formados núcleos de produção nestas cidades, totalizando aproximadamente 60 famílias envolvidas”, ressalta.

Segundo Neves, as negociações estão bem adiantadas, pois a época mais adequada de plantio no RS é até o fim do mês de novembro, dependendo da região em que se localiza o município. “Além da ampliação do número de agricultores que se incorporarão ao projeto, estamos, conjuntamente com a Secretaria Estadual de Agricultura Familiar do MS criando áreas específicas de produção de sementes, além da aquisição de novas sementes de outras cores (Safira, Marrom e Verde).

Justa Trama no MS Credito Vitor Carlos Neves

Assessores em reunião com membros dos EESs. Crédito: Vitor Neves

Um fator importante é que haverá um impacto na Justa Trama, na perspectiva de uma ação binacional, pois agricultores do Paraguai também estão sendo agregados ao projeto. Neves destaca:O início dos nossos contatos foi graças à Unisol Brasil, que em parceria com a Fundação Cideal de Cooperação e Investigação, do Paraguai, fomentou uma visita técnica dos técnicos e agricultores do Paraguai ao assentamento Itamarati Ponta Porã (MS). Na ocasião, eles visitaram agricultores que produzem algodão colorido para Justa Trama e se interessaram pela atividade. No início do mês de agosto 2015 realizamos uma rodada de visitas nas comunidades atendidas pelos técnicos que participaram da visita ao assentamento Itamarati. E como resultado teremos 40 agricultores do Paraguai que plantarão para a Justa Trama 35 hectares de algodão colorido”.

No dia 09 de outubro próximo, ocorrerá uma reunião com representantes da Ampasul (Associação Sul Mato-Grossense de Algodão) no assentamento Itamarati, em Ponta Porã (MS), para a continuidade dos planos.

Confira um etapa desta parceria internacional aqui.

Fontes: Unisol RS e Unisol MS.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM