Projeto pioneiro contempla agricultores familiares de Roraima

Trabalhadores estão empenhados em iniciar a produção nos moldes cooperativistas.


Foi realizado na cidade de Boa Vista, em Roraima, o seminário “Processo do Trabalho Coletivo nos Princípios da Economia Solidária”, no dia 31 de março. Promovido de forma pioneira, o evento teve o objetivo de levar ao conhecimento dos agricultores familiares, que pertencem ao Projeto de Assentamento União, a proposta de produção e comercialização da mandioca consorciada com o milho de forma coletiva, solidária e autogestionária. Com isso, será construída casa de farinha com produção em área de cinco hectares de maniva, além da efetivação de oficinas de Educação Ambiental, Economia Solidária e Educação Popular, entre outros.
A realização do evento contou com o apoio da UNISOL Brasil, Projeto Brasil Local, Fórum Roraimense de Economia Solidária, Rede de Educação Cidadã, Incubadora Tecnológica de Cooperativas e Economia Solidária, Universidade Federal de Roraima e Cáritas Nacional.
De acordo com a colaboradora da UNISOL Brasil em Roraima, Elielma Coelho, a importância de iniciativas como essa é a contribuição para a comunidade, no sentido de melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores. “Dessa forma, mostramos as possibilidades de desenvolver todo o grupo valorizando o conhecimento de cada um, potencializando ainda mais a Economia Solidária em nossa região e respeitando o meio ambiente”, afirmou Elielma.
Vale destacar que Roraima passa por processo de implantação de cooperativas, já que culturalmente os trabalhadores estão acostumados a se organizarem em associações. Conforme explicou Elielma, são acompanhadas cinco associações do setorial de Agricultura Familiar e estão convidando mais dois grupos para participar do processo, um deles do segmento de piscicultura e outro de fruticultura.
Além do seminário, Elielma contou que o movimento da Economia Solidária já se aproxima das comunidades indígenas da reserva Alto São Marcos. A primeira formação envolveu vários parceiros e foram marcadas mais duas reuniões. Outro avanço foi iniciado em 2011, quando as associações se debruçaram sobre a criação da Lei Estadual de Economia Solidária para o estado de Roraima e conseguiram relacionar o que deve fazer parte da legislação. “Durante o Fórum Estadual de Economia Solidária, previsto para este ano, pretendemos avançar no dialogo com alguns parlamentares”, disse a colaboradora.

Atualmente os trabalhadores estão acostumados a se organizarem em associações.


 

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM