Secretário Nacional de Economia Solidária participa do Seminário Cataforte, em Guarulhos

Durante os dias 09 e 10 de fevereiro, o Secretário Nacional de Economia Solidária, Paul Singer, e o Secretário-adjunto, Roberto Marinho, participaram do Seminário Nacional Cataforte Logística Solidária, realizado em Guarulhos (SP). O Seminário teve como objetivo capacitar lideranças e proporcionar conhecimentos sobre gestão e finanças para possibilitar que esses tenham condições de participar de todo o processo que envolve a cadeia produtiva dos resíduos sólidos.
A mesa de abertura do evento contou com a presença do presidente da Fundação Banco do Brasil, Jorge Streit; do gestor de projetos sociais da Petrobras, Marcello Brandão; do representante do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Marcos Matias Cavalcante; do membro da equipe de articulação do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR), Severino Lima Júnior; do gerente de Desenvolvimento Regional Sustentável do Banco do Brasil (SP), Valdir Matias e da secretária municipal de serviços públicos do município de Guarulhos, Maria Helena Ribeiro.
O Seminário pôde contar com a apresentação, pela SENAES, do Plano Plurianual 2012 – 2015, referente ao programa Resíduos Sólidos. O plano conta com dois objetivos: estender o acesso aos serviços de manejo de resíduos sólidos urbanos objetivando o desenvolvimento de forma ambientalmente adequada levando a gestão associada aos serviços e à inclusão socioeconômica de catadores de materiais recicláveis; e a implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, dando destaque à reestruturação das cadeias produtivas, na integração das associações, cooperativas e redes de cooperação decatadores.
A Senaes também abordou as metas do plano, dentre as quais está o apoio a 100 municípios para implantação de programas de coleta seletiva; a habilitação de 60 mil catadores para a participação na coleta seletiva; a promoção e fortalecimento de 500 cooperativas e/ou associações e redes de cooperação de catadores para atuação na coleta seletiva; e a viabilização de infra-estrutura para 280 mil catadores.
O plano também prevê a inclusão dos catadores em programas do governo, como o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), no qual serão beneficiados 90 mil catadores por meio da Formação Inicial Continuada (FIC). Estes são oferecidos a pessoas em situação de vulnerabilidade social.
Com informações do sítio eletrônico da Cáritas Brasileira e da Fundação Banco do Brasil.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM