a

Seis anos de história

“Seis anos bem vividos”, essas são as palavras de Izaltiente Rodrigues, diretor presidente da Coopasub (Cooperativa Mista Agropecuária do Sudoeste da Bahia), para resumir os seis anos de existência da Cooperativa, comemorados no dia 20 de maio.
Rodrigues conta que o projeto inicial contava com 104 cooperados e envolvia 13 municípios. O maior desafio foi reuni-los e assim construir a Coopasub de maneira que contemplasse o valor social dos envolvidos na gestão.
O projeto teve a participação de representantes de alguns movimentos sociais, como o MST (Movimento Sem Terra), MPA (Movimento dos Pequenos Agricultores) e Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Associações de Pequenos Produtores. Nessa época os agricultores já estavam conscientes que organizar-se em grupo impulsionaria a comercialização.
Atualmente a cooperativa envolve 18 municípios e são realizados projetos nas áreas de comercialização, reforma e construção das casas de farinha, assistência técnica, inclusão digital com o projeto da Estação Digital, inovação tecnológica com o projeto de Melhoramento de Manivas, Comunicação & Mobilização Social, Complexo Industrial (Unidade de Produção de Fécula e Empacotamento de Farinha) e o projeto de Formação em Cooperativismo.
Sua Estrutura:
A gestão do empreendimento Coopasub é feita de forma democrática, levando em conta os princípios do cooperativismo e da Economia Solidária. As decisões são tomadas em Assembléias Gerais e executadas pela Diretoria Executiva e pelo Conselho de Administração. Atualmente estão sendo formados os Núcleos de Produtores, que substituirão os Núcleos Municipais. Bimestralmente são realizadas reuniões com técnicos e parceiros que formam o Comitê Gestor, momento em que se faz a atualização do plano de ações.
Ao longo dos anos a cooperativa recebeu apoio de diversas Instituições parceiras, entre elas a Fundação Banco do Brasil, ASA, Petrobrás, Banco do Brasil, Embrapa, UESB, MPA, MST, BNDES, Sindicatos dos Trabalhadores Rurais, Prefeituras Municipais, Instituto Mata de Cipó, CPT (Comissão Pastoral da Terra), GEP, SEBRAE, Governo Estadual da Bahia, Governo Federal, UNICAFES e UNISOL Brasil.
Sobre a Mandiocultura:
Resgatar a cultura da mandioca como forma de promover a inclusão social e sustentável das famílias agricultoras é o principal objetivo da Coopasub. A cooperativa e seus parceiros também acreditam no mercado promissor da mandiocultura, visto que o setor alimentício, por exemplo, é base para produtos como biscoito, pão, lingüiça, enlatados, barra de cereais, pudim, sorvete e lasanha, entre outros.
As Conquistas:
Na área da Assistência Técnica houve mudanças no processo de utilização do solo por parte dos agricultores, evitando as queimadas e utilização de equipamentos adquiridos pela Cooperativa no preparo do solo.
Uma das maiores conquistas da cooperativa é o funcionamento do Complexo Industrial, que será inaugurado em breve. O local possui capacidade total de 100 toneladas por dia de processamento de raiz de mandioca para ser transformado em fécula. Já está pronta a unidade de empacotamento de farinha, que nos próximos dias poderá ser empacotada e comercializada já com a marca Coopasub.
Além de todas essas conquistas, a cooperativa gerencia o Projeto de Inclusão Digital, incluindo agricultores e comunidade e contribuindo com a comercialização dos protudos.
Com informações de Mara Ferraz – DRT BA
Fotos: TV Sudoeste

Principal objetivo da Coopasub é resgatar a cultura da mandioca como forma de promover a inclusão social


Atualmente a cooperativa envolve 18 municípios e conta com a participação de três mil pessoas

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM