Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e a parceria com a Unisol Brasil

Rafael Marques no Forum de Lideranças

Rafael Marques (em pé), presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC em evento que dá continuidade a forte parceria entre a entidade e a Unisol Brasil


Destacando o ano de 2014, muitas foram as ações que tiveram o apoio, envolvimento e dedicação do Sindicato dos Metalúrgicos no ABC (SMABC). No segundo semestre, em agosto, o evento de ‘Formação de Lideranças’, organizado pela Unisol Brasil, e que trabalha o compartilhamento e a troca de conhecimentos para a construção de lideranças dos movimentos sociais, contou com o apoio de importantes parceiros como o SMABC. Realizou-se a capacitação das lideranças que apoiam a Economia Solidária com orientações e conceitos da atualidade e que apontam para a construção de uma sociedade mais justa e sustentável.
Entre os palestrantes, Rafael Marques, Presidente do SMABC, Integrante do Comitê Sindical de Empresa (CSE) na Ford e Presidente do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC e Moisés Selerges, diretor administrativo do SMABC. Cerca de 40 cooperados e convidados de empreendimentos solidários iniciantes acompanharam as exposições dos palestrantes, fizeram perguntas e trouxeram exemplos do dia a dia.
Em entrevista de setembro para a revista da Unisol Brasil, Marques ressaltou: “É um orgulho termos participado desde o nascimento e estarmos até hoje com a Unisol. O resultado nos satisfaz bastante”, comentou o sindicalista. Segundo ele, a Unisol possui uma tecnologia social única, de extrema importância para que as mudanças sociais e econômicas almejadas pela classe trabalhadora se tornem realidade. Mas a consolidação do papel da Central de Cooperativas depende muito da manutenção do modelo de governo desenvolvido até 2014.
Como parte das iniciativas para o fortalecimento da Economia Solidária no Brasil, a Unisol anunciou em novembro o lançamento da Estruturadora Brasileira de Projetos Sociais (EBPS), em evento realizado em São Bernardo do Campo, São Paulo. A entidade é fruto de um longo trabalho de seu presidente, Alexandre Antonio, que é também assessor da Unisol Brasil, junto à sua equipe e vários parceiros nacionais e internacionais. Ao lado dos demais convidados, o SMABC esteve presente na mesa de apresentação com Aroaldo Oliveira, seu vice-presidente.
“Também foi apresentado nesta atividade a publicação do “Referencial Brasileiro para Análise de Empreendimentos de Economia Solidária”, a qual mostra uma metodologia onde o objetivo principal é orientar um processo de análise mais apropriado aos empreendimentos solidários, ajudando-os na captação de recursos e estruturação econômica. São ainda objetivos do Referencial o desenvolvimento do conhecimento, da cultura organizacional e o aprimoramento da tomada de decisão nos empreendimentos de economia solidária”, informa Antonio.
Retomando o ‘Fórum de Lideranças’, o primeiro dia do segundo módulo ocorrido em novembro, trouxe discussões necessárias e pertinentes à sociedade, à Unisol Brasil e ao movimento sindical. Recebendo afiliados cooperados de todo o País, o objetivo foi o de continuar a fortalecer os conhecimentos políticos e sociais e promover uma troca de experiências entre os palestrantes e a audiência. A primeira mesa de discussões, ‘Igualdade de Gênero’, estava composta por Mirian Pocebon, Diretora-Executiva da Unisol Brasil, Ana Alice, Diretora-Executiva do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e membro da Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM-CUT), entre outras participantes.
Segundo Alice, os avanços nos direitos das mulheres vieram após a realização do 2º Congresso da Mulher Metalúrgica no ABC, que aconteceu em 2010. Neste evento, foram discutidas pautas como a licença-maternidade, que como ela relembrou, foi “uma luta para conquistar, gerando muita discussão”; a flexibilização dos horários das creches (assunto que envolve políticas públicas e divisão social do trabalho);a inclusão de mulheres nas áreas técnicas (ascensão profissional); política de contratação (onde as fábricas metalúrgicas se comprometeram em contratar 30% de mulheres, pois a segregação não se justifica, com a constante automatização dos processos e consequentemente, tarefas menos pesadas); a igualdade de participação nas instâncias de decisão e de poder; o fim da violência contra as mulheres e outros direitos e cidadania relacionados.
Apoiando visitas, costurando parcerias internacionais e participando de eventos, o SMABC ressalta que a Unisol Brasil está inserida nessa movimentação por um País diferente. Marques reforça: “Então, o apoio à Economia Solidária e à Unisol é criar os instrumentos para que tanto os trabalhadores organizados em seus sindicatos, quanto as outras formas de organização, evoluam no caminho desse País que a gente defende. Sobre a relação do SMABC com a Unisol, o sindicato tem que participar junto com os nossos amigos da cooperativa para entender que esse processo é rico em termos do que vem de novo a partir disso, apesar de ter suas contradições”.
Os eventos citados acima estão em matérias aqui no site e nas redes sociais da Unisol Brasil (acesso pela página principal).

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM