Sul-Africanos convidam UNISOL para Conferência

Delegação formada por cinco representantes do Numsa (Sindicato dos Metalúrgicos da África do Sul) convidaram a UNISOL Brasil para participar da Conferência Nacional de Cooperativas, a ser realizada até o fim do ano, envolvendo a Sanaco (Associação Nacional das Cooperativas Sul-Africanas) e movimento sindical. O propósito de convidar a entidade é para que ela possa compartilhar suas experiências no campo da Economia Solidária.
“O modelo cooperativista da UNISOL é o que queremos implantar na África. Tomamos conhecimento do bom trabalho realizado pela entidade e isso nos levou a visitar o Brasil”, mencionou o secretário geral do Sindicato, Karl Cloete. Ele disse que a expectativa é finalizar a conferência com plano para os próximos cinco anos, em conjunto com o Ministério do Trabalho, Ministério do Desenvolvimento Econômico e Ministério do Comércio e Indústria.
O convite feito à UNISOL aconteceu durante intercâmbio que a delegação fez entre os dias 22 a 25 de agosto no Brasil. A visita foi realizada pela central de cooperativas em parceria com a CNM (Confederação Nacional dos Metalúrgicos) da CUT (Central Única dos Trabalhadores). Agora o grupo tem como destino a Argentina e Venezuela.
A África do Sul sofreu o impacto massivo da crise financeira internacional, principalmente os trabalhadores e pessoas que vivem abaixo da linha da pobreza. Quando houve a recessão internacional de 2008, 1,7 milhões de empregos foram perdidos e uma das soluções adotadas para assegurar os trabalhos foi a Economia Solidária, no desenvolvimento de cooperativas. “Este foi um meio para fugirmos do desemprego e da desigualdade que constitui uma crise tripla em nosso país”, explicou Cloete.
Este é o primeiro contato entre UNISOL e África do Sul e, ao que tudo indica, as impressões foram às melhores. O que mais chamou a atenção da delegação sul-africana foi à maneira de organização coletiva dos trabalhadores. “Sentimo-nos em casa no momento em que chegamos ao Brasil, não tivemos qualquer dificuldade de entender como funciona o movimento de cooperativas nacionais e vamos embora com muito conhecimento”, ressaltou Cloete.
[nggallery id=23]
Para companhar o que foi publicado na mídia sobre o assunto clique aqui.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM