Tingimento natural é aposta da Justa Trama

Representantes da Justa Trama e de empreendimentos parceiros se reuniram no começo de fevereiro, em Porto Alegre, para avaliar o desempenho da cadeia do algodão colorido em 2013 e planejar as ações para 2014. A conclusão é de que os resultados foram bem positivos com avanço de 30% no faturamento durante o ano passado, em relação a 2012, e a possibilidade de continuar a crescer com o novo processo adotado de tingimento natural do algodão orgânico.
O processo de tingimento natural será executado com investimento de R$ 1,6 milhão da Petrobras e terá como resultado peças prontas de diversas cores. A ideia é que até o final do ano, a cooperativa comercialize produtos com variedade de tons. Atualmente, a cadeia produtiva tem capacidade apenas para o comércio de peças produzidas com a fibra nas cores cru e marrom, conforme o algodão é plantado.
Para a diretora-presidente da Justa Trama, Nelsa Nespolo, o novo projeto abrirá possibilidades e vai ampliar o mercado para a cadeia produtiva. “Além da variedade, teremos um diferencial em relação ao mercado que usa o tingimento químico”, explicou. Segundo a executiva, com a nova demanda, a meta da cooperativa é aumentar o número de agricultores, atualmente são 80 no plantio.
Nelsa disse que as tintas naturais serão desenvolvidas na Amazônia e o tingimento final em Porto Alegre. Atualmente, a Justa Trama está na fase de contratar profissionais e procurando uma área para construir a lavanderia em Porto Alegre.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM