Unisol Brasil discute, com lideranças femininas, a violência doméstica na pandemia

Enfrentamento ao aumento de casos foi tema central do encontro.

O cenário atual, desenhado pela pandemia do Coronavírus, apresenta novos desafios para o enfrentamento da violência contra as mulheres. Em razão disto, a Unisol Brasil, realizou na tarde de ontem (4), encontro virtual que reuniu lideranças femininas de 8 estados brasileiros para debater medidas para o enfrentamento da violência doméstica na quarentena.

Logo depois da rodada de apresentação, o encontro que durou cerca de 3 horas, debateu os seguintes assuntos: a “Contextualização da Secretaria de Políticas Afirmativas”, “Comunicação, trabalho e formação como eixos importantes para o enfrentamento” e por fim, a “Violência doméstica em tempo de pandemia”.

Como encaminhamentos do encontro ficaram  definidos o restabelecimento da Secretaria de Mulheres da Unisol Brasil com calendário de reuniões mensais e a realização de pesquisa para saber quem são, quantas são e onde estão as mulheres da Unisol Brasil. Edinalva Costa, presidenta da Unisol Piauí, vice-presidenta da Unisol Brasil e uma das coordenadoras do encontro, destaca que a realização da pesquisa é fundamental para o momento que vivemos “O isolamento social, o aumento do tempo de convívio doméstico, a redução do domínio do ir e vir, o distanciamento das redes de apoio e a ausência de serviços públicos agravam os conflitos e expõem as mulheres a uma situação de maior vulnerabilidade. A pesquisa vai nos ajudar a mapear nossa demanda vulnerável e propor medidas preventivas e de apoio”, ressalta a vice-presidenta.

Outra decisão importante foi a de realizar reunião com o Conselho Nacional de Direitos Humanos – CNDH para apresentar violações de direitos humanos e violência doméstica, em especial nesse momento de pandemia, e propor ações de combate. “A definição de acionar o CNDH reflete nossa intenção de colocar à disposição de nossa demanda toda uma rede de apoio que possa dar suporte afetivo, psicológico e jurídico para mulheres vítimas de violência”, conta Anne Sena, presidenta da Unisol Bahia, tesoureira da Unisol Brasil e também da coordenação do encontro.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM