Unisol e SEPN firmam parceria para acompanhar empreendimentos

O secretário de Estado de Pequenos Negócios, José Carlos dos Reis, voltou a se reunir, ontem, na sede do Sindicato dos Servidores Municipais (Sermurb), em Rio Branco, com empreendedores filiados à Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários (Unisol). Da reunião também participaram o diretor-presidente da Central de Abastecimento e Comercialização de Rio Branco (Ceasa Rio Branco), Sergio Lopes, e o presidente da Cooperativa de Mecanização Agrícola da Transacreana (Coopemart), José Augusto Pinheiro da Silveira.
Fundada em 2004, a Unisol é uma central de representação de empreendimentos econômicos solidários de âmbito nacional e de natureza democrática, cujo compromisso fundamental é a defesa dos interesses dos trabalhadores organizados cooperativamente. Participam desses encontros homens e mulheres interessados em montar negócios através de associações ou de cooperativas, nos mais variados ramos.
A reunião de ontem é o desdobramento de encontros que vêm ocorrendo entre os cooperados e representantes do governo, entre os quais o próprio governador Tião Viana. O objetivo desses encontros é firmar parcerias, através de convênios, que permitam a Unisol acompanhar os empreendimentos que o governo, através da Secretaria de Estado de Pequenos Negócios (SEPN), vem implementando em todo o Estado. A ideia é fazer com que os projetos financiados pela SEPN tenham a gestão acompanhada pela assessoria da Unisol. “A missão da nossa entidade é organizar, representar e articular os empreendimentos coletivos da economia solidária, buscando a igualdade, a dignidade humana e o desenvolvimento sustentável”, disse Carlos Omar, assessor regional da Unisol. “Estamos muito contentes porque temos encontrado eco nas ações do Governo, através da Secretaria de Pequenos Negócios, em relação ao que defendemos em termos de cooperativismo e de expressão política dos empreendimentos solidários e das cooperativas autênticas”, acrescentou.
José Carlos dos Reis disse que esses seguidos encontros entre membros do Governo e os cooperados é uma demonstração de que há interesse em fomentar o cooperativismo no Estado. “Nós temos que criar essa cultura, porque a cultura do funcionalismo público há muito acabou.
Temos que encontrar alternativas econômicas que não sejam só a do contracheque”, disse José Carlos dos Reis. “O governador Tião Viana tem atuado de forma a deixar o Governo aberto às pessoas que atuam na microeconomia, porque está provado que são os pequenos, as pessoas que podem ser organizadas em cooperativas e associações, que movimentam a economia”, acrescentou.
Uma chefe de família de 72 anos vive de reciclar lixo
Participaram do encontro homens e mulheres com alguma vinculação com pequenos empreendimentos, como é o caso da senhora Maria Alves Miranda, de 72 anos, moradora da Baixada da Habitasa, em Rio Branco.
Ela é uma das cooperadas do Projeto Catar, uma cooperativa formada por 40 membros que trabalha com a reciclagem de lixo na capital.
Mãe de uma dúzia de filhos, ela vive na companhia de apenas dois, um dos quais excepcional. “Sou o esteio da nossa família”, conta ela, que complementa a aposentadoria do Funrural, de um salário mínimo, catando lixo nas ruas de Rio Branco. “A cada dois meses, com a reciclagem, chego a apurar até R$ 490. Foi esse tanto que eu ganhei no mês passado”, disse.
Fonte: Página 20 

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM