UNISOL faz balanço de 2016

Ecosol2_phixr
O ano de 2016, apesar de toda a instabilidade política e econômica no Brasil, foi um ano movimentado para a Economia Solidária. Teve articulação política, participação em eventos nacionais e internacionais, fortalecimento da União Nacional das Organizações Cooperativistas Solidárias (UNICOPAS) com a entrada da UNICATADORES, promoção de feiras e formações, fortalecimento de redes e parcerias, avanços no processo de federalização da UNISOL Brasil.
“Apesar da turbulência no país, que teve como resultado a paralisação de diversos projetos no campo da Economia Solidária e da agricultura familiar, a UNISOL Brasil, junto com a UNICAFES e a CONCRAB e a partir da Feira de Santa Maria com a adesão da UNICATADORES, buscou construir um conjunto de agendas para dialogar e pressionar o governo Temer na perspectiva de cobrar a continuidades das políticas públicas para o setor”, define Leo Pinho, presidente da UNISOL Brasil.
Com a realização de mais uma edição da maior feira de Economia Solidária da América Latina, a Feira de Santa Maria, os diversos movimentos e organizações do campo da Ecosol construíram uma unidade para manter a política pública de Economia Solidária, que se refletiu na realização de uma audiência pública na Câmara Federal dos Deputados alguns meses mais tarde. “Essa audiência teve duas grandes centralidades: a convocação do Conselho Nacional de Economia Solidária e a retomada dos editais que já estavam comprometidos junto à política pública de Ecosol”, diz Leo.
Naquele mesmo momento, foram levantadas a necessidade de aprovação da lei geral de economia solidária e da nova lei do cooperativismo brasileiro, que está parada na Comissão de Trabalho da Câmara Federal. “A UNICOPAS realizou uma reunião com o ministro do trabalho, cobrando também essas prioridades, e isso teve como resultado a convocação do Conselho e um compromisso de relançar os editais para fortalecer as políticas públicas de Economia Solidária”.
 
Cenário internacional

EmiliaRomagna2016

Agenda na Emilia Romagna, na Itália


Em 2016 a UNISOL cobrou a retomada das reuniões da RECME, a Reunião Especializada das Cooperativas do Mercosul. Em março desse ano já acontecerá um encontro em Buenos Aires. Houve a ampliação dos trabalhos da Cicopa América – braço da Organização Internacional de Cooperativas de Trabalho, da Aliança Internacional das Cooperativas (ACI), da qual a UNISOL Brasil faz parte – presidida por Arildo Mota, promovendo uma maior integração entre as cooperativas de trabalho em todas as Américas.
“Em especial nesse momento de crise, as cooperativas de trabalho são muito afetadas, então temos mostrado a importância de fortalecer as políticas públicas, os incentivos às cooperativas de trabalho em toda a região. Na Cúpula das cooperativas da ACI, realizada também em 2016, ouvimos uma fala do ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, valorizando o papel das cooperativas de trabalho e da Economia Solidária como estratégia de desenvolvimento para as Américas, para termos um desenvolvimento com maior distribuição de renda e justiça social”, avalia Leo.
Uma articulação conjunta das centrais de cooperativas e centrais sindicais do Brasil, Argentina e Uruguai, inédita, aconteceu durante o Encontro Internacional de Sindicalismo e Cooperativismo, com o objetivo de construir uma agenda unitária entre os trabalhadores de cooperativas e os trabalhadores sindicalizados, buscando uma unidade da classe trabalhadora para superar a crise e retomar um crescimento econômico mais justo e equilibrado.
Ao longo de 2016, a UNISOL também aprofundou a parceria e o diálogo com o governo da região da Emilia Romagna, na Itália, realizando visitas a várias cooperativas sociais em Bolonha, Ferrara, Porta Maggiori e Trieste, em parceria com a Nexus,  e também com as entidades Cospe, a Central de Cooperativas Legacoop e CGIL – central sindical italiana. Ainda naquele país, a UNISOL buscou aprofundar os processos de exportação de secos do Brasil, em parceria com a cooperativa Chico Mendes. A Central Copacaju, no Ceará, que foi certificada para comércio justo no fim de 2016, é uma das exportadoras.
No Paraguai, a UNISOL Brasil, por meio do empreendimento Justa Trama, participou do Seminário internacional do algodão: Tecendo oportunidades na América Latina e Caribe, promovido pela FAO e várias organizações de 12 países.
 
Federalização
Reunião da Unisol no Acre

Reunião da Unisol no Acre


O processo de constituição de UNISOIS estaduais pelo país avançou em 2016, apesar de todo o contexto de crise que se refletiu na paralisação de projetos de Economia Solidária.
A UNISOL São Paulo se consolidou com a eleição de uma nova direção com integrantes de vários segmentos do estado, atuando em importantes e significativos projetos junto à Prefeitura de São Paulo e em outras cidades.
No Rio Grande do Sul, a UNISOL ampliou o seu trabalho, inclusive no campo da agricultura familiar. Consolidou suas ações também no estado da Bahia, com ampliação de projetos e assessorias técnicas, principalmente no campo da agricultura familiar. A Paraíba também tem sua UNISOL, com forte protagonismo da Coopnatural. Em Santa Catarina, consolidou diretoria paritária de gênero e uma forte parceria com incubadores de cooperativas em universidades, em especial com a FURB, da cidade de Blumenau. E foram realizadas visitas e articulações para constituir a UNISOL no estado do Acre.
“Isso vai se materializar esse ano num grande encontro nacional dos dirigentes estaduais da UNISOL, pra gente ampliar esse processo de federalização, fazer uma avaliação do ano passado, mas principalmente planejar os passos pra avançar no processo de federalização nesse ano de 2017, mesmo com essas dificuldades, essas turbulências no ambiente político”, diz Leo.
 
Direitos Humanos
 Num cenário político conturbado, em que a lógica dominante é a de que quem tem que pagar a crise são os trabalhadores, as trabalhadoras, os setores que estão em situação de vulnerabilidade social, a UNISOL Brasil fez um importante giro de prioridades incorporando, se aprofundando e trabalhando de forma mais forte no tema dos direitos humanos, em especial os direitos das populações em situações de vulnerabilidade e o direito ao trabalho decente.
Foto: Conselho Nacional de Direitos Humanos

Foto: Conselho Nacional de Direitos Humanos


Nesse sentido, uma grande conquista foi a participação no Conselho Nacional dos Direitos Humanos. “Fomos escolhidos como conselheiros, como integrantes da mesa diretora do Conselho e como coordenadores da Comissão Permanente de Direito ao Trabalho, Educação e Seguridade Social – que já tem inclusive uma primeira reunião agendada no dia 20 de fevereiro, sobre reforma trabalhista, previdenciária e sobre as reformas do ensino médio. Reformas que têm como tônica o ataque aos direitos da classe trabalhadora”, define o presidente da UNISOL Brasil.
No estado de São Paulo, Wenderson Gasparotto, diretor da UNISOL SP, foi eleito vice-presidente do Conselho Estadual de Direitos da Pessoa Humana – Condepe-SP. Para Gasparotto, a ocupação do cargo é um reconhecimento, pelas entidades que trabalham com direitos humanos, da importância da Economia Solidária e da própria atuação da UNISOL: “É o reconhecimento da Economia Solidária enquanto agente de transformação, de emancipação dos trabalhadores”, avalia.
 
Giro: algumas atividades da UNISOL ao longo de 2016
Na área da agricultura familiar, a UNISOL promoveu assistência técnica e extensão rural, além de apoio à gestão social, inclusão produtiva e dinamização econômica de empreendimentos coletivos na Bahia, por meio dos projetos com a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER), beneficiando associações e cooperativas de agricultura familiar. As Redes CAAF – Central das Associações da Agricultura Familiar – e a rede APAEB do Portal do Sertão também participaram de diversas ações dentro do Projeto Redes, com fomento de comercialização e produção.
No Vale do Ribeira, em São Paulo, a Rede 7 Barras manteve contrato com a Prefeitura de São Paulo para o fornecimento de banana orgânica para as escolas, com apoio do projeto Redes para fomento de certificação participativa. Ainda no Ribeira, cooperativas locais fizeram parceria com a Manufatura de Ideias e começaram a comercializar produtos orgânicos e agroecológicos no Sacolão da Saúde e Sacolão da Avanhandava, no município de São Paulo. A parceria visa aumentar a demanda pelos produtos orgânicos e assim fazer com que as cooperativas e os produtores vendam em maior quantidade fazendo com que o custo de produção seja mais baixo e tornando assim o produto orgânico mais acessível ao consumidor final. O projeto tem também como parceiro a CAISP cooperativa de agricultores Ibiúna que auxilia no escoamento e comercialização dos produtos.
Foi firmada parceria com a Associação de Agricultura Natural de Campinas e Região para ampliar os Núcleos de Certificação Participativa de Orgânicos, buscando  fortalecer a comercialização e agregar valor aos produtos da agricultura familiar.
KharmanGuia

Ocupação da Karmann Ghia, em São Bernardo


Em São Bernardo do Campo, a UNISOL Brasil promoveu formação para os trabalhadores da Kharmann Ghia do Brasil, montadora que faliu no início de 2016, numa parceria com a Escola de Formação Dona Lindu e o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Essas instituições, em parceria com a Nexus Emilia Romagna, organizaram também um seminário Internacional sobre empresas recuperadas, com convidados da Itália, Uruguai e Argentina.
Ainda sobre esse tema, a UNISOL participou de uma mesa de debates durante a 5ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, composta por Arildo Mota, Ladislau Dowbor e Ricardo Antunes. O debate aconteceu após exibição de um filme sobre cooperativismo na Venezuela.
O fortalecimento das Redes COOPERHORIZONTE (SC), COOPETSINOS e COOPERCAN (RS), foi promovido por meio do projeto CATAFORTE, da Fundação Banco do Brasil, que prevê mobilização e consultorias para melhoria das Redes de Cooperativas de catadores de materiais recicláveis. E a mais recente parceria com a ABIHPEC, que tem apoiado as mesmas Redes para o aumento da produtividade, inclusive com o fomento de aquisição de equipamentos.
No Acre foram realizados feiras e seminário para fomento de empreendimentos da área de extrativismo e produção de mel, além da articulação para formação da UNISOL Acre em 2017.
Em Hortolândia, SP, foi inaugurado o Centro de Capacitação e Qualificação Profissional Griffe Criolê, moda afro, alimentação e valorização da cultura e tradição ancestral africana.
Empreendimentos solidários de São Paulo participaram mais uma vez do Design Weekend, da Feira Craft Design e da exposição Viva Design Social no Conjunto Nacional. Espaços permanentes de comercialização da Economia Solidária foram mantidos ou ampliados, como o Parque Mário Covas e o Mercadão Municipal. Foram promovidos seminários, palestras, mentorias e diversas atividades junto a empreendimentos.
A UNISOL participou de um Seminário sobre compras públicas na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, organizado em parceria com a Frente Parlamentar de Economia Solidária, Federação da Agricultura Familiar, Fórum Paulista de Economia Solidária, Secretaria de Desenvolvimento Trabalho e Empreendedorismo da cidade de São Paulo e Ministério do Trabalho.
Bahia

Unisol Bahia


Participou do 5º Congresso da Associação Brasileira de Saúde Mental (ABRASME) fomentando o eixo de Cooperativismo Social com apoio em cofee breaks (organizados por empreendimentos de Ecosol), promoção de feira de Economia Solidária, confecção dos kits do congresso por empreendimentos da Rede de Saúde Mental e Ecosol, além de integrar mesas e seminários sobre Cooperativismo Social.
Promoveu um seminário sobre o algodão agroecológico em Mato Grosso do Sul, com a participação da Justa Trama e suas cooperativas integrantes – que envolvem, nesse estado, cerca de 41 agricultores em 7 cidades plantando o algodão agroecológico Rubi.
Realizou consultorias para desenvolvimento de produtos para empreendimentos de artesanato e acessórios nas redes Olhares do Sul (RS) e Vale do Circuito (MG).
No Ceará, promoveu assessoria para aumento de produtividade e melhoria na comercialização junto à Central Copacaju, em parceria com a Cooperativa Chico Mendes e a Fundação Banco do Brasil.
Promoveu a Campanha do Dia Internacional de Luta contra a Violência Sobre a Mulher em novembro, envolvendo mulheres de empreendimentos e técnicas de todo o Brasil.
Participou do Encontro Latino-Americano de Trabalhadores Associados na Argentina, com o tema de unidade dos trabalhadores e trabalhadoras para a garantia de direitos e da democracia.
Participou também do Fórum Mundial de Acesso à Terra, na Espanha, debatendo agroecologia, a mulher na terra, e em especial a concentração de terras e os programas de acesso.
Esteve presente da Reunião do Conselho de Administração da ACI América em Porto Rico, debatendo pautas do cooperativismo para a América.
Acompanhe essas e outras notícias da atuação da UNISOL aqui em nosso site e nas redes sociais.

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM