Unisol reúne 21 cooperativas da construção civil

Por: Marcos Palhares (marcos@abcdmaior.com.br)
Fonte: ABCD Maior
 
O 1º Encontro do Setorial Construção Civil – Empreendimentos Filiados a Unisol Brasil será aberto nesta quinta-feira (27/03) em São Bernardo, às 14h, no Liau Hotels Park Suits, na avenida das Nações, 595, Chácara Inglesa. O objetivo é debater, trocar experiências e apresentar propostas entre os participantes nas áreas de acesso à mercados, consolidação e articulação de redes, projetos nacionais e internacionais e capacitação de trabalhadores. Ao todo, o evento, promovido pela Unisol Brasil em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), reunirá 21 cooperativas brasileiras, entre elas, duas da Região. O encerramento será na sexta-feira (28/03), às 19h.
 


Setor teve impulso com economia forte no Governo
Lula. Foto: Divulgação

 
“Estão participando cooperativas do ABCD, da Grande São Paulo e de outros estados também, como Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Paraíba”, detalha Alexandre Antônio da Silva, assessor técnico da direção da Unisol Brasil. Os dois empreendimentos da Região são a Cooprofis (Cooperativa de Trabalho dos Profissionais Operacionais do Setor de Construção Civil), de São Bernardo, e a MCI (Cooperativa de Trabalho em Marcenaria, Carpintaria e Restauro em Madeira Imperial), da Vila de Paranapiacaba, Santo André.
 
De acordo com Silva, o bom momento da economia brasileira e a atenção do Governo Lula estão impulsionando o cooperativismo no setor da construção civil. “Nos últimos oito ou dez anos, vem crescendo cada vez mais o número de cooperativas e empreendimentos auto-gestionários. Principalmente agora, quando o governo federal tem uma secretaria específica para cuidar do assunto, a Senaes (Secretaria Nacional de Economia Solidária), ligada ao MTE (Ministério do Trabalho e Emprego)”, afirma o assessor técnico da Unisol Brasil.
 
“O setor está se fortalecendo de forma sustentável. Assim, os trabalhadores estão conseguindo levar os resultados para suas famílias”, acrescenta. A percepção de mercado é compartilhada por uma das cooperativas do ABCD que participam do evento. “O movimento aumentou cerca de 70% em um ano e meio. Trabalhamos até de sábado e domingo”, conta Esmael José Almeida, projetista, técnico em infra-estrutura e diretor-administrativo da Cooprofis, empreendimento que iniciou suas atividades em maio de 2006, com 20 associados, e hoje tem 24 trabalhadores fixos e mais seis colaboradores, entre ajudantes de pedreiro, carpinteiros, gradistas, pintores, encanadores e eletricistas.
 
“É muito importante participar desse Encontro Setorial, para participar, somar e conhecer novos parceiros”, resume Almeida. Na avaliação do diretor administrativo da Cooprofis, o cooperativismo é viável e recomendável: “A gente gera sustentabilidade para pessoas que, sozinhas, não têm condições de captar recursos ou serviços. E, principalmente, faz o possível para qualificar o cooperado que aposta nisso”.
 
O que é cooperativismo – Cooperativas são empreendimentos auto-gestionários, ou seja, são empresas administradas pelos próprios trabalhadores. Nelas, o trabalhador não se restringe a produzir, mas também decide, administra, controla, organiza e participa, de forma presencial, de todas as decisões que são tomadas no empreendimento. “O objetivo principal da cooperativa é o trabalhador, é tentar trazer todo esse resultado financeiro para ele, para trazer bons frutos tanto para sua família como também para a sua comunidade e a sociedade como um todo”, explica Alexandre Silva, da Unisol Brasil.
 
Existem princípios que são seguidos pelo cooperativismo, entre eles, a adesão voluntária (ninguém é obrigado a estar no empreendimento), a porta aberta (livre arbítrio para tomar decisões), a decisão democrática (onde a maioria decide em assembléia soberana), a participação econômica (o sócio participa dos resultados no final do exercício), a cooperação (um empreendimento ajuda o outro) e a qualificação (educação permanente).
 
“Hoje, nós temos no Brasil cerca de 15 mil empreendimentos auto-gestionários, entre cooperativas e associações, que têm apoio do governo federal, direta ou indiretamente, por meio de programas como o Bolsa Família e Bolsa Escola, projetos com a Fundação Banco do Brasil, Petrobras, Caixa Econômica Federal, além dos ministérios que estão ligados diretamente a essas redes de empreendimentos, como o MDA (Ministério de Desenvolvimento Agrário), MDS (Ministério de Desenvolvimento Social) e o próprio MTE”, completa Silva.
 
Unisol Brasil – Com sede em São Bernardo, a Unisol Brasil (União e Solidariedade das Cooperativas Empreendimentos de Economia Social do Brasil) é uma associação civil sem fins lucrativos, de âmbito nacional, que pretende defender os interesses da classe trabalhadora, a melhoria das condições de vida e de trabalho e o engajamento no processo de transformação da sociedade. Com base em laços de solidariedade e cooperação, tem por objetivo principal reunir as entidades, empresas coletivas constituídas por trabalhadores e quaisquer outras modalidades de pessoas jurídicas, que atendam às finalidades do seu estatuto, a fim de promover efetivamente a melhoria sócio-econômica de seus integrantes.
 

Publicar um comentário

SIGA A GENTE NO INSTAGRAM